quinta-feira, 31 de março de 2011

INCONGRUÊNCIAS DA VIDA E DO MUNDO


CONGRUÊNCIADiz-se congruente, quando em uma coisa ou fato da vida, há congruência, coerência, que é côngruo. O inverso, evidente é totalmente o oposto. Congruência, no campo da matemática também, é quando figuras geométricas são côngruas, se complementam de forma harmônica e se encaixam umas nas outras. São figuras côngruas.

O MUNDO E A VIDA – Venho tocando sempre nesse tema de que o mundo está fora de prumo, desconexo, incôngruo e perdido. Não existe um rumo certo a ser seguido, muito menos, o que venha a ser motivo de se aproveitar. Talvez seja deveras tardia a luta em reverter a situação, ou quem sabe, ainda pode se mudar muita coisa. Na verdade, pelas dificuldades com a qual se depara na vida, as suas incongruências em confronto com mundo são tantas, que ninguém sabe ao certo o que poderá vir a sobrar no final das contas.

FIM DE MUNDO? – Quem sabe, pode até ser que se esteja à beira de prenúncio de que o mundo venha a se acabar, mesmo para quem venha a se apagar de vez. Por seu turno, pelo andor da carruagem como anda se movimentando as engrenagens do eixo do mundo, pode até ser que estejamos num prenúncio de realmente um final de mundo, que poderá advir de uma explosão cósmica e tudo vai pelos ares, espaço infindo afora. O Japão pode ser um indício evidente para o decantado fim de mundo. Se a coisa entrar em moda e os tsunamis se expandirem por todos os quadrantes do Planeta Terra, quem sabe se já não se esteja realmente no começo do final de mundo, hem?

A INSENSIBILIDADE É UM INDÍCIO – A falta de sentimento humano que se avulta a cada dia que passa; a brutalidade feroz de irmão ceifando a vida de irmão, de pai matando filho, de filho tirando a vida de pai e mãe e por aí se vai toda essa parafernália de sociedade tresloucada em que se está vivendo. Não existe sensibilidade em nada. Todo mundo até parece que não vê ninguém além de si próprio, ou até amor próprio existe mais a alimentar o viver de quem quer que seja. O homem, o ser humano deixou de ter sentimento de amor, para se deixar levar pelo sentimento maléfico de dor, de sofrimento e de desamor. Da essência da vida, pelo visto, nada mais sobrou.

O ANIMAL SUPEROU O HOMEM – Por mais que se agigante o mundo, se evolua em sua corrida desenvolvimentista, científica e de sofisticação, parece que os sentimentos humanos vão dando lugar ao ser animal irracional que habita o coração de cada um da gente. Até parece que se está diante de uma realidade da qual não mais será possível retroceder, porque a tendência daqui para frente é a animalização cada vez mais feroz e cruel de cada ser humano. A besta-fera tomou o lugar humano que devera habitar em cada um de nós. É triste ter que se chegar a essa conclusão, mas a realidade com a qual se depara é essa mesma e outra, infelizmente, não há.

NÃO HÁ COMO SE ENCONTRAR – Sem uma luz no fim do túnel, não há como haver um encontro entre tantos pontos incongruentes que existem na vida e no mundo. A vida nem sempre pode ser ditada pelos chamados destinos de quem quer que seja, muito menos, a idéia falsa que se tem de cada um traçar o seu próprio destino. Por vezes se é compelido a seguir esse ou aquele caminho, isso não por querer, mas sim, por imposição de fatores alheios à vontade do sujeito, da pessoa. Nem sempre se é dono do próprio nariz. Pode até se pensar por momento que manda em tudo ou em si próprio, mas na incongruência que é o mundo e a vida, ninguém na verdade manda ou é dono de absolutamente nada.

NÃO EXISTE MAIS VERGONHA – Nas incongruências do mundo e da vida, ninguém mais tem vergonha de nada, todo mundo perdeu o pudor, a decência e o respeito ao próximo. Os desencontros são tamanhos, que já não se tem o mesmo sentido, a vida simples, singela e humilde de outros idos que se foram no tempo e que não voltam jamais. Nesses tempos ditos modernos, o mundo foi virado de cabeça para baixo e respeito que era bom, se escafedeu, não mais existe. O mundo realmente está virado, diga-se de passagem, está perto mesmo de se chegar ao seu drástico e imutável final.

A PORRALOUQUICE DAS GUERRAS – Pior é ver gente se engalfinhando, se matando sem causa através de guerras fratricidas, que não levam a lugar nenhum, tão-somente para justificar ninguém sabe o que, mas elas persistem, as matanças injustificáveis continuam de vento em polpa, como se a vida de cada ser humano nada valesse. É uma verdadeira insanidade essa incongruência que se apodera cada vez mais da humanidade. Pior mesmo são as tantas e tantas matanças injustificáveis, a dor que fica, e a vida que jamais volverá para quem quer que seja, ainda que se acredita que o fim da vida seja o início de um novo mundo, mas de novo na verdade, são as incongruências que se ficam da vida e do mundo.

AS IMPERFEIÇÕES DA VIDA - A vida bem que poderia ser diferente, mas não. As pessoas envelhecem, enfraquecem, vem à cavalo, sem mandar recado, a inexorável morte. Não se sabe diante de tantos desencontros e incongruências, que aí sim, seja o final de tudo. Seja, como se diz, o fim de mundo para quem se foi. A triste realidade da vida é somente uma e outra, pelo menos para se ter a certeza inconteste, não existe, a não ser, da existência de Deus, Senhor manobrista de toda essa situação, de todos esses desencontros que se vive e que se chama mundo. Poderia até se ter uma vida perfeita, segundo alguns, não houvesse o pecado do Éden, mas o pecado existiu e nunca deixará de existir na face da Terra e por isso mesmo, é que todos devem impiedosamente pagar sem contemplação. É tiro e queda, sem que mais exista volta.

GENTE BOA - Existem muita gente boa neste mundo, apesar de outro tanto de gente ruim e cada vez mais piorada com as quais se depara por aí mundo afora. O velho amigo, o mais antigo cinéfilo de Arcoverde, já com idade avançada, Rock Lane, que foi o pioneiro em cinefilia na Terra do Cardeal, está doente, o que nos deixa tristes, isso porque, ele foi uma pessoa boa e que fez história, mesmo assim, é chegado um momento na vida, que pelas suas própria incongruências, de que se chega a fraquejar, adoecer e, fatalmente um dia, tudo vai escurecer de vez, como se fora um sono eterno, só que, sem mais se sonhar. Por enquanto, o que se pode dizer e torcer, é para que ele melhore e chegue a viver ainda por longos anos de vida, é o que se dexeja deste Blog.

quarta-feira, 30 de março de 2011

O MOTE É ARREGAÇAR AS MANGAS E MÃOS À OBRA

QUEM PRETENDE – Verdade seja dita, mas quem tem pretensão de se candidatar a prefeito pela primeira vez e quem pretende uma reeleição, está na hora de arregaças às magas e ir de vento em polpa na massa, senão pode definhar e sequer chegar perto do bolo novamente. Outra mais, a proximidade com o povo, deve ser cada vez mais constante, senão camaradas, a vaca vai pro brejo sem pestanejar.

SE ELEGEU, ARRE POVO! – Tem político que se elege, passa a andar de carrão cabine dupla, vidro fumê daquele que não se vê ninguém de fora para dentro, não para mais pra falar com ninguém e pensa que é o dono do mundo. Eita, como quem pensa e age assim está enganado, hem camaradas! – Não é bem assim que a banda toca em política, ou o indivíduo muda, ou vai pras “cucuias” numa futura pretensão de reeleição.

O PIOR DO POLÍTICO – O pior do político, é procurar manter distância regulamentar do povo, quando se elege, passa a andar de salto alto e de nariz arrebitado. Aí sim, é que o caro cai mesmo em desgraça política e na antipatia popular. E quanto chega a esse ponto, caminho para a liquidação final da fatura, num próximo pleito eleitoral, já está com meio caminho andado.

REAPROXIMAÇÃO COM O POVO – De memória curta, como sempre acontece, pois politicamente falando, o povo esquece de tudo e só lembra mesmo do presente, não é difícil lhe passar a perna mais uma vez e vir a ser reeleito, afinal de contas, tem gente que vota até mesmo por uma injeção na testa. É o cúmulo do absurdo, mas é assim que acontece no mundo real da sacanagem política.

TUDO PODE TER ORDEM – Se os políticos quisessem, tudo poderia ter um certo controle, isso se houvesse uma certa organização. Não que o político devesse vir a fugir do povo como quem foge do diabo, isso não, mas quando o sujeito se torna político, deixa o privado de lado e passa a ser público, entretanto, pode existir um freio de arrumação, desde que o político seja organizado. Não é certo o povo amanhecer e anoitecer na casa de político mendigando seja lá o que for, mas se acaso se pudesse colocar a coisa em ordem, tudo poderia ser diferente, com um dia ou mais para atender o povo, não necessariamente na caso do indivíduo, mas em local de atendimento público, cuidar dos feitos administrativos e das obras em andamento, sem com isso, se distanciar do povo.

POVO VICIADO E MAL ACOSTUMADO – Existem municípios em que o povo é mesmo mal acostuma, até parece sanguessuga de casa de político, principalmente se for prefeito. Mesmo que de nada precise, mesmo assim, arruma uma coisa para pedir. É a pediometria, ou seja, a mania de sempre estar pedindo alguma coisa, seja lá o que for. Outros vão até somente para pegar na mão do cara, olhar nos olhos dele, falar com ele, ter uma retribuição por isso e só. É como se fora um astro para o povo, falar com o seu líder máximo da política local. Quem não entende dessa forma e mantém distância regulamentar, é um mau presságio de que num futuro embate eleitoral, poderá vir a se lascar.

A ORGANIZAÇÃO DA VIDA E DA POLÍTICA – Político que quer mesmo se organizar, principalmente se for prefeito, tem que ter uma equipe que saiba aonde tem o nariz, com liberdade para agir dentro da sua esfera de limites, saber tomar decisões com independência, desde que não seja de alçada da hierarquia superior, além de que, ter uma agenda organizada e um planejamento de governo bem articulado. Sem tais precauções, dificilmente se estabelece na política. Agora tem políticos que deixa tudo por conta do deus-dará e aí sim, o buraco político dele pode estar bem próximo de ser cavado. Fazer política não é fácil, mas se pode perfeitamente ser um político sério, honesto, de moral e que tenha e mantenha a palavra empenhada com o povo, sem precisar estar sempre dizendo mentiras esfarrapadas. Ninguém mais acredita em que age dessas forma.

terça-feira, 29 de março de 2011

A POLÍTICA COSTURADA PONTO A PONTO

1. - O ex-prefeito João Paulo, está num beco sem saída dos diabos. Primeiro, ele é uma das estrelas maiores do PT idealista de Pernambuco e, um marco desse partido desde a sua fundação e por isso mesmo, não deveria sair da legenda e, em segundo lugar, se sair para um outro partido, poderá se descaracterizar, feito Paulo Rubem, que ao se debandar para o PDT com a intenção de ser prefeito de Jaboatão dos Guararapes, praticamente se apagou politicamente, porque o seu brilho era no PT, inclusive, no momento, ficou até sem mandato.

2. A questão da briga interna entre ele, João, com o outro João, o da Costa, que era um posto sem luz e que veio a tê-la por culpa do outro João, o Paulo, continua envolto por um mistério que ninguém entende até hoje. Mas com essa briga de vai e vem, o PT poderá perder a Prefeitura do Recife em 2012. A uma, porque João da Costa, não está tendo perfil político, nem tampouco de bom administrador, marca que o outro João, o Paulo, deixou bem marcada na população recifense. Se deixar o partido, poderá da mesma forma que Paulo Rubem, vir a se apagar, apesar de ter sido o deputado federal mais votado do Recife. Com a performance de João da Costa, a disputa de uma reeleição, é temerária.

3. - Não interpreto a fundação da PSD por Gilberto Kassab, prefeito da cidade de São Paulo, como algo novo e inovador, mas sim, a refundação de um partido que vem da época de Getúlio Vargas, passando por Juscelino Kubistcheck, vindo até a ditaduta militar de 1964, que obrigou a encampação de todos os partidos no MDB e na ARENA, depois vieram como extensões de tais partidos, o PMDB, o PDS, o PFL e o DEM, do qual Kassab está saindo, para, tentar se tornar uma liderança com estatura nacional. Na verdade Kassab está querendo fazer renascer das cinzas um partido da época do coronelismo, da ditadura de Vargas e que veio a se findar com a ditadura militar.

4. - O Partido Verde - PV, vem enfrentando da mesma forma, uma crise de identidade, com a possibilidade de Marina Silva vir inclusive a sair da sigla para uma outra. Se especula que ela venha a integrar com Gilberto Kassab, as hostes do novo (velho) PSD, coisa que se acredita pouco provável pela escola petista de onde ela vem. Então camaradas, vê-la ao lado do prefeito de São Paulo, é um retrocesso política na carreira dela mesma, que foi bastante ativa como ex-ministra do Meio Ambiente, ex-senadora e candidata derrotada a vice presidente da república pela agremiação partidária verde. Decisões políticas, em muitos casos, podem ser fatais, a exemplo de Heloísa Helena, ex-senadora pelo Estado das Alagoas.

5. - A discussão da reforma política, está sendo realizada fechada em copas, isso porque, o povo pouco está sabendo o que vem sendo discutindo em um assunto que diz respeito à toda a população brasileira e não somente aos parlamentares lá de Brasília. Pelo visto, vai ficar mesmo tais conversações no atacado e quando sair no varejo, vai tudo continuar como sempre foi. Na verdade, a tão decantada reforma política é para mudar e ficar no mesmo, desde que não mexa nos principais interesses deles mesmos, os políticos, e o povo vai mais uma vez a ver navios. Discussão à portas fechadas, camaradas, não atende aos interesses da população.

6. - Discussão de verdade, tem que ter a participação popular, senão será inócua e imprestável para os interesses do povo. Para se ter uma discussão legítima e séria, ela tem que vir até à população, que é a principal interessada nas mudanças das regras do jogo eleitoral, porque do jeito que está e permanecer no mesmo formato, é coisa que não interessa a ninguém. A discussão até agora proposta, é a mesma coisa que chover no molhado, para tudo ficar no mesmo.

7. - Temas importantes estão sendo deixados de lado intencionalmente, a exemplo da não obrigatoriedade do voto, a diminuição das cadeiras do parlamento em todos os níveis, a extinção das câmaras de vereadores e a sua substituição por um Conselho de Cidadãos probos e honestos, sem a percepção de subsídios, a candidatura independente e a eleição de quem for mais votado, para acabar com a eleição desse tipo de voto com a soma do voto de outros mais votados, em regime de coligação, o tal de coeficiente eleitoral. O fortalecimento dos partidos e a fidelidade partidária, é algo extremamente importante, assim como, a candidatura independente de quem quiser se candidatar independentemente de estar ou não filado a partido político nenhum, desde que, sejam impostas certas e determinadas regras do jogo. Senão se discutem assuntos de tamanha importância, é porque ferem interesses maiores dos políticos e por isso mesmo, estão sendo deixados de lado, esta é a verdade.

8. - A desimportância partidária é tão patente, que o PSB de Eduardo Campos, por exemplo, governo do Estado de Pernambuco é presidente nacional da sigla, se escrachou todinho quando Gilberto Kassab acenou vir para o partido, igual o da mulher lavadeira de roupa de cócoras. Não houve nenhuma objeção em torno da origem ideológica do interessado, afinal de contas, para o PSB o que vale mesmo é quem tem voto, o resto, a questão de socialismo da qual o partido é supostamente um dos pregadores, foi tudo para a lata do lixo. Na verdade, esse partido, quando está no poder, a exemplo de Miguel Arraes, avô do atual governador, também inchou até não caber mais ninguém dentro do saco dele em Pernambuco, para depois, nos oito anos de Jarbas, encolher, murchar até caber somente numa pequena sacolinha, daquelas dos pastores de igreja protestante de resultados. Agora de volta ao poder, haja socialista por todos os cantos de Pernambuco e em parte, do Brasil. Partido político, na verdade, é igual a vampiro brasileiro, ou não camaradas!

9. - A questão de financiamento público, na verdade, se vier a ser aprovada, é uma coisa que na prática, já existe de fato, isso porque, quem entra numa reeleição, jamais tira dinheiro do bolso ou da iniciativa privada, mas sim, da própria máquina administrativa e muitos que se candidatam pela primeira vez, pegam dinheiro dos agiotas ou de terceiras pessoas, quando veem nesse gesto, que lá na frente vão ter alguma vantagem e o político eleito, fica preso até o gogó e só paga mesmo, com o próprio dinheiro público que vai surrupiar com as artimanhas por todos conhecidas, ou se está errado, camaradas?

10. - Se depender de boas intenções, na verdade ninguém se elege. Por isso mesmo é que temos uma leva de políticos picaretas que não está no gibi. Isso em todos os níveis, quer municipal, estadual ou federal. A picaretagem é uma marca maior de toda caterva política. Pode até existir um ou outro que se salve, mas que é uma raridade, disso ninguém pode duvidar. Numa cidade do porte de Buíque, para quem quiser se eleger no momento atual, se acredita ter que investir somas monetárias na ordem de 3 a 4 milhões de reais, senão não será eleito. Uma das eleições que pude observar que não houve gasto algum, foi a de Blésman Modesto, em 1962, e essa última, de Jonas Neto, que se muito gastou, foi o dinheiro declarado de previsão de despesa de campanha eleitoral, na faixa de pouco mais de 200 mil reais, apesar de claro, ter havido ajudas fragmentadas para derrotar os detentores do poder até então.

segunda-feira, 28 de março de 2011

QUANDO NOS SENTIMOS COMO AS FLORES QUE COMEÇAM A MURCHAR


A CHEGADA DO OCASO – Na vida passamos por três fases distintas. A primeira, vem quando chegamos a pensar que podemos tudo na vida; a segunda, de que estamos seguros e portanto, devemos seguir em frente e, a terceira, quando já começamos a nos sentir o peso nos ombros e de que já não mais somos os mesmos que fomos, nem tampouco volvermos o tempo daquilo que gostaríamos de ser. Mas a lei da vida, se a viagem não vem antes, com certeza em qualquer momento chegará. Evidentemente, que quando estamos próximos do ocaso, as coisas já não vão tendo lá muito valor, principalmente no mundo material, mas mesmo assim, não podemos nem devemos desanimar. O mote é sempre e deverá ser, lutar até que chegue o sono derradeiro, senão que diacho viemos fazer nessa porra de mundo, hem? – Às vezes fico a vaguear nas imensidões do espaço e do tempo e sinto que já não sou mais o mesmo, claro e evidente, que não sou mesmo, ninguém pode dizer que é, mesmo assim, não podemos capitular de nossa missão da qual fomos determinados a fazer enquanto vida tivermos.

AS FLORES JÃ NÃO SÃO AS MESMAS – Quando plantamos uma flor, a semente se bem regada, claro que vai nascer, crescer, florescer, e num momento derradeiro, murchar e morrer. As flores são como nós. Também elas não são eternas, mas a sua beleza, deve sempre viajar na mente de cada um de nós, deve sempre ser guardada por quem tem amor e sentimento de mundo, afinal de contas, a vida deve ser vista de forma a mais bela possível, embora os rumos realísticos nos mostrem outro caminho. Devemos ter ciência que o mundo real é este em que vivemos. Não podemos mais nós iludir e sequer existe mais tempo para se alimentar ilusões, mesmo assim, devemos admirar a beleza das rosas, das belas e das feras envoltas pela ternura. Ninguém é totalmente brutal ou completamente sentimental demais, mesmo assim, devemos cultivar sempre a beleza da vida e da alma. Se assim não o for, então qual o sentido de se viver neste mundo?

NESTE MUNDO CRUEL – A vida é dura, o mundo, nem se fala. Quem não sabe de que esta droga de mundo está cada vez pior? - Fazer da vida nossa ainda pior, é duplamente querer sofrer. Não adianta alimentar ilusões, quando a realidade palpável está a um palmo da nossa frente, do nosso nariz. É nesse gigantismo de crueldade e de ruindade que existe e reina neste mundo, que devemos sempre buscar a beleza das rosas, das flores, em busca da paz, antes que elas venham a murchar de vez e aí, camaradas, já é tarde demais para refazermos na vida o que queríamos e o que gostaríamos de fazer. Na realidade, vivemos uma vida toda e, no final das contas, as flores murcham e concluímos que na verdade, ainda existiam muitas flores a ser regadas e muitas coisas para se fazer. Não vamos satisfeitos, nem tampouco, terminamos de escrever a página completa da vida.

NÃO PODEMOS NOS MALDIZER – Por qual razão a gente se maldizer da sorte, quanto existem tantas pessoas que gostariam de estar em nosso lugar e, por alguma razão, por algum fator impeditivo, não podem, hem? – Por isso mesmo, é que, por mais que as flores murchem, existem tantos outros canteiros de rosas e flores que já murcharam bem antes, que sequer cresceram ou chegaram a florescer. Então a vida é uma dádiva divina que devemos cultivar como se cultiva com amor, uma bela flor, à beleza da rosa. Nos maldizer, até que podemos, mas antes devemos olhar para o nosso lado e ver com os olhos de quem realmente quer ver, que existe alguém numa situação muito pior do que a nossa. A vida é assim. Nos jardins, por mais belas que sejam as flores, por mais vicejosas que elas floresçam, fatalmente um dia, elas também vão murchar.

NADA SOMOS ALÉM DISSO – Nada além do que esse amontoado fisiológico de bilhões de vírus e  bactérias, que formam o nosso organismo, que atende as nossas necessidades fisiológicas, nós somos. Existe muita gente a se regozijar de situações, de posições sociais, de algum feito alcançada, mas na verdade, ninguém é mais do que ninguém. Todos somos um amontoado de vermos rastejantes, que basta fecharmos os olhos de vez, para em torno de 24 horas, o organismo composto por vírus e bactérias, vir a ser consumido por um amontoado de larvas famintas e vorazes na destruição da matéria que nada é além do que lama e fedor. É isso que somos. A síntese da vida orgânica é isso, e disso não passa. O sujeito pode ser o cão chupando manga, que o fim, realisticamente do indivíduo é o mesmo que quem vive como rato de esgoto a rastejar de fome, abandonado nas ruas e embaixo dos viadutos. Ninguém, camaradas, é melhor do que ninguém. Bonitinha, apertadinha, metida a rica e famosa, nada vale também, vai pro mesmo buraco putrefato que todos irão também e não adianta botar ar condicionado, dormitório aconchegante, perfumado e macio, que de nada vai adiantar. A morte é o fim da carne putrefata, mas é o caminho para uma outra vida, pelo menos é nisso que se deve crer, afinal, será que terminamos nesse limite de merda de vida mesmo, ou não?

A HUMILDADE E RESPEITO – Portanto minha gente, se nada somos nessa vida de “merda”, para que ostentar às vezes tanta besteira, tanto orgulho, tanto poder, buscar humilhar ao próximo, faltar com o respeito aos humildes, como se fôramos os donos ou a palmatória do mundo!  - Para que isso, hem? – Gente assim, acha que também não vai ser transformada na mesma podridão que nós outros, né mesmo, minha gente? – Na realidade, quem assim pensa e age ou imagina ser, está arredondamente enganado, pois será ainda mais fedorento e putrefato que nós mesmos. Ninguém na verdade, vale porra nenhuma para ostentar em ser o que na verdade não é. Querer ser Deus ou imaginar que O seja, é o maior engano que o ser humano pode ilusoriamente alimentar, pois Deus de Verdade, só existe um, que certamente está sempre a nós guiar, inclusive esses tipinhos de “borra-botas” que acham que estão acima de tudo, ou não camaradas!

domingo, 27 de março de 2011

FILHA DO ADVOGADO EDILSON XAVIER, A MÉDICA JULIANA OLIVEIRA, VEM SE DESTACANDO NA ÁREA DE MEDICINA

      
        A médica Juliana Leite de Oliveira - filha do advogado Edilson Xavier - que se formou em 2009, pela Universidade de Pernambuco - UPE, foi aprovada recentemente para o Curso de Residência Médica em Anestesia e já teve inicio no Hospital da Restauração em Recife, realizando, segundo a referida médica, seu sonho profissional de se especializar nessa importante área da medicina. Os parabéns de seus familiares, amigos e admiradores. Parabéns ao nobre amigo advogado, Edilson Xaviera, e a sua filha, Dra. Juliana Oliveira.

COLUNA BATENDO O MARTELO

Aqui não tem conversa fiada não senhor, é prego batido, ponta virada!
BLOG DO CABILUDO – Fato que poucos estão observando, mas o “Blog do Cabiludo” (com “i” mesmo), é bastante informativo e interessante, principalmente com assuntos científicos e principalmente, com os relacionado àqueles da existência de vidas em outros planetas e galáxias, o que na verdade, é bem provável que exista mesmo, afinal de contas, não tem o menor sentido de que estejamos somente nós da espécie humana e de outras espécies de vida, nesse infinito e infindável Universo, em nosso Planeta Terra. Na verdade o amigo “Cabiludo”, pelo jeito, tem um misto de Raul Seixas e Paulo Coelho, além de que, é chegado a um “rock and roll da pesada” e, pelo visto, tem um bom gosto por esse estilo musical. Parabéns pelo Blog, caro camarada e que se aprofunde mais na sábia arte de informar. Nosso povo precisa ser melhor e mais bem informado e por vezes, não de tantas baboseiras que a gente vê por aí sem o menor sentido.

CORAGEM – Coragem a gente que ter para se prestar a informar, fazer análises de fatos e acontecimentos, também, por tabela, influir na formação da opinião pública, senão sequer se tem essa sede, essa fome de sempre estar dedilhando no computador dos tempos modernos, porque antes era mesmo, ou na caneta tinteiro a escrevinhar no papiro, depois esferográfica, ou na velha máquina de escrever, que muitos ainda resistem e não deixam o dedilhar às arcaicas máquinas de datilografia nem à pau, porque não se adéquam aos tempos avançadíssimos do mundo da informática e internetário, a exemplo de Ariano Suassuna, o nosso amigo William Porto e até mesmo o nobre escritor Cyl Gallindo. Na verdade, escrever sobre fatos e acontecimentos, é de uma grande responsabilidade e por isso mesmo, nem sempre a gente pode apontar o dedo diretamente para A, B ou C, como se fora uma metralhadora giratória, sob pena de nos imiscuirmos em erros crassos ou cometer injustiças, mas quando se escreve um assunto em que está nele contido nas entrelinhas, algum fato ou algo relacionado com alguém ou alguma entidade pública ou privada, quem tiver a carapuça que caiba no arcabouço, que a vista. No mundo atual em que a vida nada está valendo para muitos, e que não tem o menor sentido para outros, a gente por vezes tem que dizer as coisas, como quem está pisando em ovos, não implicando necessariamente em dizer que agindo assim estejamos nos “amofinando”, feito cachorro com o rabo entre as pernas, ou nos acovardando como “maricas arrependidas”, mas nem tudo que por vezes temos o conhecimento, não podemos funcionar como se fôramos a palmatória do mundo para fazermos um juízo de valor, e por vezes indevidamente, virmos a execrar publicamente quem quer que seja, como a imprensa irresponsável tem feito às escâncaras e colocando um fim tumular na vida de muitas pessoas.

SAFADAGEM SEMPRE VAI EXISTIR – Enquanto o mundo for mundo e a vida existir, não vai deixar de existirem os pilantras e a pilantragem, os safados e a safadagem, os desonestos e a multiplicação das desonestidades, a violência e a sua cada vez maior disseminação e os sofisticados requintes de crueldade, pois isso na realidade, é o espelho do mundo, a vitrine existente desde que o mundo é mundo. A gente que escreve cotidianamente e que tem uma linha de pensamento, de idéias independentes, progressistas, avançadas e que buscam levar uma palavra de valoração das pessoas, das coisas e da relação que existe entre tudo que posto na natureza de forma mansa, pacífica e harmônica, termina na verdade, por pregar no deserto, apesar de vivermos hoje num Planeta com uma população que beira aos 7 bilhões de seres humanos, mesmo que sejamos críticos vorazes e nos posicionarmos contundentemente sobre pessoas e fatos, nem sempre às vezes, podemos ser diretos e duros naquilo que buscamos levar como meio de expressão, apesar da liberdade da qual, em tese, somos dotados. Claro que, se nós não existíssemos, evidentemente, o mundo seria bem pior do que na verdade o sé e como ele no momento se apresenta. Covardia, incompreensões, desilusões, frustrações por as coisas não acontecerem de acordo com o que pensamos, sempre vamos nos deparar, mas nem por isso, o mundo vai mudar, mesmo assim, sem sequer nos darem ouvidos, vez, nem voz, continuaremos na luta da insistente persistência de falar e gritar bem alto, até que um dia venhamos a ser ouvidos de verdade.

REFORMA POLÍTICA – As discussões que se iniciaram no Congresso Nacional, sobre à tão decantada reforma política, está mais para “baboseira” de menino “buchudo lombriguento”, que conversa séria para se travar de vez e se firmar um limite de mecanismos eleitorais respeitáveis, duradouros e moralizantes da política brasileira. Pelo visto, sem querer dar nome as bois, mas falando de forma generalizada, o que querem mesmo é trocar o seis por meia dúzia e ficar tudo como dantes, pois o que querem mesmo é mudar a cor do camaleão, desde que não se mexa no sossego do bichano. Com isso, a mistura de “alhos com bugalhos” continuará sendo a mesma de sempre. Partidos políticos fortes! – Nem pensar! – Pelo visto, a questão de termos partidos políticos sérios e confiáveis, vai mais uma vez a ver navios. Voto distrital, distrital misto, voto em lista, coligação partidária, não-coligação, financiamento público de eleições e o escambau, em nada vai diminuir a influência do poder econômico, o uso da máquina administrativa em períodos de eleições, nem tampouco, deixarão de ser eleitos os mesmos picaretas de sempre. Se querem mudar as regras do jogo, que façam mudanças de verdade, e não um arremedo de reforma política, que jamais será alcançada, pois de boas intenções o inferno está saturado.

CANDIDATURAS INDENPENDENTES – Queria ver político cabra-macho e dos “colhões roxo”, não feito os de Collor, mas de um sujeito de boa índole, para propor discussões em torno da candidatura independente, ou seja, qualquer eleitor diante de determinadas regras e exigências, independentemente de estar filiado ou não a partido político, poder vir a se candidatar. Por quê não se coloca em pauta mais essa discussão, uma vez que, partido político e nada é a mesma coisa! – Então, por que o cidadão livre e independente e em dia com seus deveres e obrigações, não poder independentemente se candidatar a qualquer cargo eletivo, hem? – Outra mais, gostaria de ver cabra-macho pra cachorro, lá no Congresso Nacional, colocar em discussão o fim das Câmaras de Vereadores e a criação de uma espécie de Conselho de Cidadãos Probos, a ser eleito diretamente pelo povo, sem a percepção de qualquer vantagem em pecúnia, hem? – Assim se poria um fim a essa farra da vereança, que ganha sem trabalhar, com raras exceções, além do mais, ainda por cima, querem propina para votar matéria legislativa de interesse da população. Outra mais, por que também não se coloca em discussão a diminuição dos quase seiscentos deputados federais e quase noventa senadores, para que cada uma das casas reduzam as cadeiras pela metade, valendo o mesmo para as Assembléias Legislativas, hem? - Por qual razão também, não se propõe o fim do voto obrigatório, para o eleitor ter mais liberdade de votar ou não votar, hem? – Se tiver algum cabra-macho, um lampião, lá no Congresso Nacional, capaz de propor tudo isso, acreditem, será um herói ou um doido varrido, mas também, será com certeza, motivo de piada e jamais será eleito para “porra” nenhuma na vida política em outro mandato. Na verdade, até parece que o povo é quem gosta mesmo da sacanagem, ou estou enganado?

FAZ DE CONTA – Na verdade, camaradas, a gente vive num mundo estapafúrdio, de ilusões e de um faz de conta imprevisível. Tudo na vida ou quase nada, é levado a sério. Nem na porra da política querem seriedade, aí é que não querem mesmo. Existem leis e mais leis disciplinando tudo, vinculando atos e fatos a tudo que acontece, mas nada funciona. A contabilidade bate, a prestação de contas fica nos trinques ou aparentemente dentro das exigências contábeis e financeiras, mas tudo, tudo não passa mesmo de fruto de maquiagem, feito as atrizes e atores do mundo da fantasia holliwoodiana. O Brasil, parte do mundo, é tudo uma maravilha só. Afinal, todo mundo ou quase todos, só querem mesmo é tirar vantagem, uma casquinha que seja de tudo que esteja ao seu alcance. Existem até aqueles bonachões que demonstram a bondade em pessoa, a divindade caída do céu, só que, no frigir dos ovos, só querem mesmo, só buscam mesmo, uma oportunidade para também tirar proveito de alguma forma das facilidades com as quais se deparam pela frente. De bonzinhos, minha gente, o Inferno está cheio e existe outro tanto no Purgatório esperando para chegar no mundo infernal. Só mesmo, caro amigo Cabiludo, a gente ser “abduzido” para outra Galáxia, um outro Planeta qualquer nessa vasta imensidão infinda, quem sabe por lá, não vamos nos deparar com tantas sacanagens e picaretagens que existem neste nosso Planeta Terra, que está a demonstrar uma certa fúria com a sucessão de tantos “tsunamis” que vem ocorrendo mundo afora. Vamos ter cuidado nós do Brasil, de Buíque e principalmente, de São Domingos!

sábado, 26 de março de 2011

MOMENTOS QUE NÃO DEVEM PASSAR EM BRANCO

INAUGURAÇÃO DA ESCOLA RECREAÇÃO

            Em ato solene, eis que finalmente, o prefeito Jonas Neto, inaugurou na tarde de ontem, a Escola Recreação Infantil, completamente recuperada e ampliada. Ficou um primor de prédio a nova escola, que em homenagem ao nobre amigo de todos nós, Kleisson Freitas Araújo, filho de Lilia e de Edvaldo de Cyrillo, foi dado o nome ao novo prédio onde funcionará uma escola completamente reformada e que será tida como uma escola modelo do Município de Buíque. O auge da inauguração, foi a emocionante homenagem prestada pelos amigos e pela família de Kleisson ao filho que faleceu prematuramente em um acidente automobilístico, na estrada do Sítio Mulungu. A homenagem prestada ao amigo, que tive o prazer de o conhecer no Recife, através da amizade que mantinha com os meus filhos Hélder e Delsinho, foi justa e correta, pois ele sempre demonstrava um amor e uma devoção desmedida por sua terra, Buíque, defendendo-a à unhas e dentes para que houvesse uma mudança. Vibrava com a possibilidade de ver um Buíque mudado, quando se iniciou a campanha para prefeito de Jonas Neto. Buíque está de parabéns pela escola renovada e ampliada e também, por haver prestado essa justa homenagem ao jovem Kleisson, que se foi de forma trágica e prematuramente para o outro lado. O que se espera agora, é uma melhoria na qualidade da nossa educação.

DISCURSO DO PREFEITO

            Em seu discurso emocionado, o prefeito Jonas Neto, fez referências emotivas ao amigo Kleisson, aos familiares e foi duro ao dar um recado aos que estão falando da pessoa dele, Jonas Neto, ao asseverar que “falem da minha administração, agora deixe a minha vida pessoal em paz”, emendando logo adiante, “que eles passaram doze anos no poder e nada fizeram e nós, em cerca de dois anos, já entregamos ao povo além de outras obras, essa importante escola, além da compra de mais seis veículos para servir ao município, que estão aí em frente”. Prometeu ainda, construir nos moldes da escola que ora estava sendo inaugurada, a Creche-Escola da Vila Frei Damião, orçada em 1,3 milhão de reais, além da recuperação da escola da Vila do Carneiro, da Vila do Catimbau, além de outras grandes obras em favor do povo buiquense.

DESENVOLVIMENTO DE BUÍQUE

            Para que nossa terra venha a se desenvolver realmente, é o bastante o administrador público se voltar para três vetores econômicos de sustentabilidade, a saber: a educação, com investimentos na multiplicação de salas de aula e na melhoria de qualidade de ensino com a requalificação de professores e mais exigência de resultados positivos com uma educação de qualidade; uma saúde pública de qualidade, com a permanência diária de médicos, a recuperação ou construção de sala cirúrgica, para realização de pequenas e médias cirurgias, sala de parto para nascer buiquenses natos e se levando a medicina preventiva para todos os recônditos do município, seria uma espécie de programa de saúde em todo lugar e, por último, o investimento no social, com a criação de programas voltados para a Zona Rural para o desenvolvimento de agricultura e pecuária familiar, para os pequenos agricultores, o incentivo e investimento estrutural na indústria do turismo na Vila do Catimbau, além de fazer renascer, fortalecendo-os com recursos públicos, os movimentos de cultura popular para que o povo venha a demonstrar os seus valores culturais. Seja qual venha a ser o administrador ou quem esteja na vez do momento, basta seguir esses três vetores desenvolvimentistas, que com certeza, o nosso Buíque vai se desenvolver ou então, dar um grande salto de qualidade na vida de todos os buiquenses. Agora para isso também, basta que haja seriedade, honestidade, moralidade e um tratamento sério para com a coisa pública.

INAUGURAÇÃO DO CINE DEUSA BRANCA - TUPANATINGA DÁ LIÇÃO DE CULTURA

           Buscando dar valoração à sua cultura e a sua gente, Tupanaginga, com desforço da Associção Cultural e do Poder Público, estão inaugurando hoje, uma iniciativa que merece elogios, sobretudo porque busca dar valoração a uma arte que está no esquecimento de muita gente e que merece ser reativada a título de lazer e tirar muita do marasmo, das ruas, sem ter o que fazer e ver um filmezinho, comer pipoca e tomar refrigerante e lembrar dos doces tempos nostálgicos, de se dar uma namoradinha no cinema. Tupanatinga, está de parabéns com essa iniciativa cultura, principalmente o pessoal da Associação Cultural daquela "Deusa Branca", do qual saúdo a todos através do amigo Zé de Lica. Recibi o convite para lá me fazer presente às 19h00 para o evento, mas como tenho compromissos outros na capital do Estado, infelizmente não posse comparecer, mas com certeza estarei de coração e, como bem me entendi com o amigo Zé de Lica, em qualquer ocasião estarei lá a seu convite, para debatermos na Rádio FM local, assuntos relacionados com política, direito, justiça, cultura e cidadania. 



O INCONFORMISMO DOS INOCENTES ÚTEIS


            Existem pessoas que passam a vida toda sob a sobra dos outros, sem ter luz própria. Tais pessoas, sem mais nem menos, sempre procuram diminuir, denegrir a imagem de outras pessoas sem que venha a ter o menor fundamento para tanto. É assim que acontece na vida real das pessoas. A inveja, a intriga, a mentira desnecessárias e gratuitas, sempre procuram ser a marca de pessoas, que por não ter luz própria, se valem da luminosidade dos outros, para vir a ter a sua própria luz.
            O caminho da vida infelizmente, é árduo e cheio de dificuldades e percalços, o seu percorrer. Por isso mesmo é que deveríamos aprender que na vida, a valoração humana é algo importante e de que o respeito ao próximo é uma questão de quem aprendeu a viver que o melhor é sempre respeitar ao próximo, fazer o bem sem olhar a quem e acima de tudo, não fazer a menor distinção contra quem quer que seja. Quando se está por cima, geralmente as pessoas esquecem quem foram, quem realmente são e se imaginam acima de tudo e de todos, até mesmo dos amigos fiéis de sempre, procurando fazer de conta que eles não mais existem. É lamentável como ainda existem pessoas que no decurso da vida, não aprenderam ainda que viver é se respeitar e sempre estar ciente de que ao respeitar os iguais, bem como as desigualdades existentes, é um ato de nobreza de todo e qualquer ser humano digno e que sabe viver com respeito e dignidade.
            Na vida não existe melhor, nem pior. Todo mundo merece a devida consideração e respeito. Ninguém pode se considerar melhor ou pior do que outra pessoa, por se encontrar ela na condição em que estiver. Também não se deve ostentar uma postura que não condiz com a realidade de quem na vida nunca foi absolutamente nada. Não o nada no sentido de um zero à esquerda, mas “um nada” que sequer apareceu pela insignificância que representou enquanto ser humano. A gente é o que é, e só pode ser o que o limite circunstancial dos fatos e da realidade das coisas, nos impõe como condição de vida. Pode até ser que se venha a ser o que se queira ser, mas nem sempre seremos o sonhado por nós e na ótica do próximo de nós mesmos a nos olhar. Por isso mesmo, é que na vida, quando se está por baixo, sempre haverá de existir a insatisfação de pessoas que de certa forma sempre foram usadas como instrumentos para outrem atingir objetivos turvos e abjetos, que no final das contas, não passam mesmo de inocentes úteis que foram usados ao bel prazer de alguém.
            A existência dos altos e baixos na vida da gente, é sempre uma constante. Ora estamos por cima, ora por baixo, ora no meio, ora em lugar algum, até chegar o momento do “ora se está por baixo de sete palmos”, até enfim, o termo da vida temporal chegou realmente ao instante derradeiro, e aí sim, todo mundo fica nivelado por baixo na horizontal. O certo mesmo nesta vida, seria que todo mundo buscasse respeitar cada qual, como a si mesmo, que se amasse ao próximo, como a gente, em tese, deve amar a gente mesma. Se assim o fosse, a vida seria bem diferente. Falar do próximo, descer a lenha, sem ter domínio de conhecimento, ou propriedade de conhecimento à fundo, é o mesmo que dizer tudo, dizer nada e ser a síntese final de ser mais um zero à esquerda no lapso temporal de uma vida, que para nada valeu e dela se viveu e não valeu a pena vivê-la. Viver a vida é respeitar, amar ao próximo, a si mesmo e respeitar a todo mundo, mesmo que não pense igual a você, mas como diz o ditado, “respeito é bom e eu gosto”. Vamos demonstrar o que está errado, pois ninguém pode ver o erro à olhos vistos e nada falar, fazer de conta que não viu e de que nada ouviu. O que está errado é para ser escancarado mesmo, mas respeitar o ser humano dentro dos limites que se deve respeitar, é uma imposição de princípio de direito natural de vida, do nascer, do viver e do morrer.

sexta-feira, 25 de março de 2011

COLUNA O OLHAR DA TARÂNTULA

Esteja você aonde estiver, que o meu olhar peçonhento vai estar sempre de olho em você!

ESTOU DE VOLTA – Bem, minha gente, sexta-feira hoje, estou eu aqui de volta. Nesses últimos oito dias, vi muita coisa e sei de tudo que vem acontecendo mundo afora. Existem o que a gente viu e pode dizer sem pestanejar, entretanto, de outras “cositas mas”, nada se pode falar, senão o bicho pega. Não que tenha chegado aqui a censura. Na verdade, sempre se é censurado por alguma coisa. Até mesmo por tomar uma lapada de cana, coisa que eu, quanto podia flutuar na minha rede, tanto gostava de fazer. Hoje, apesar de historicamente milenar, até parece que não vou morrer nunca, já não posse dizer ser a mesma aranha de outrora. A vida infelizmente, é uma desgraça, por isso mesmo, que se via, quem pode, viva com intensidade como se fosse o último minuto de sua vida, até mesmo sendo da família dos aracnídeos. Mas enquanto isso, estarei por aqui vez por outra, destilando o meu veneno, certo minha gente!

VEREADOR DE QUALQUER LUGAR – Seja daqui ou dalhures, sempre tenho fixado o meu olhar peçonhento, nas condutas dessa vereança parasita e, às vezes até, desnecessária. Primeiro, nada fazem e até pra votar num projeto de lei de interesse do povo, querem barganhar o voto, como se estivessem numa feira de “mangaio” ou na popularmente conhecida “feira do troca”, aonde todo indivíduo que é preso com uma arma de origem suspeita, só diz perante o juiz de direito, com comprou na feira do troca e, se indaga de quem, afirma o indigitado mau-caráter, não lembrar da pessoa o vendeu, que era alguém de outro lugar e apanhou numa troca, mas não sabe com quem. Assim são os vereadores quando se trata de votar uma matéria, mesmo que seja de salutar importância para o interesse e o bem-estar da população. Vereador! – Eca! - É o mesmo que vampiro brasileiro!

TROPA DO ATRASO – Vem observando a bichinha peluda e peçonhenta, com os seus múltiplos olhares que nada deixa escapar, que basta um político não vir dando certo em qualquer que seja o lugar, que os contaminados por “paixonite aguda”, se quedam logo para esculhambar de vez o seu torrão, fazendo logo alusão indevida de se querer formar uma “tropa de elite”, mas uma elite do atraso, do “quanto pior, melhor”, daquilo que já passou, já foi, não deu certo e não mais deveria sequer ser lembrado, nem em batizado de bêbado. Mas como tem gente que gosta de apanhar na bunda limpa e levar picada envenenada de todo bicho peçonhento, segundo observa Dona Tarântula, “todo castigo pra corno é pouco”, ou não camaradas!

CADÊ OS DEPUTADOS? – É isso mesmo! – Dona Tarântula está de olhos bem abertos, viu, minha gente! – Não pense que ela vai deixar barato e ficar calada, que não vai não! – Passadas as eleições, ninguém mais teve notícias dos deputados votados na região. É outra raça de cururus de trovoadas, que só aparece mesmo quando chove no molhado, assim mesmo, de quatro em quatro anos. Seria de bom alvitre, que o povo se alertasse mais e passasse a cobrar dessa cambada votada na região, que Buíque existe e está fincada no mapa do Brasil, razão pela qual, todos eles devem ser cobrados diretamente pelos eleitores, já que os prepostos que receberam dinheiro não estão nem aí para o povo, ou estão? – Está mais do que na hora de cada um abrir os olhos e o bocão também, alerta Dona Tarântula. O povo não quer saber de divisão de cargos com cabo eleitoral de seus gabinetes não senhor, mas sim, de uma resposta em favor dos interesses de melhorias que se precisa para cada região.

QUE TEM BOCO VAI À ROMA – Dona Tarântula que de besta não tem nada, vai mesmo é pelo lema de que “quem tem boca vai à Roma”. Por isso mesmo é que não deixar barato nenhum com os deputados que foram votados em nossa região, sejam eles de que lado forem, afinal de contas, os interesses é de todo mundo e não de cabo eleitoral A, B ou C, que recebe o dinheiro para transferir o voto alheio e no final de contas, banana pra o povo, que é sempre usado como instrumento de massa de manobra, para essa cambada de picaretas da planície, para sempre tirar vantagem e se lambuzar do bolo da picaretagem política, ou não, minha gente!

É HORA DO POVO ABRIR OS OLHOS – Avisa Dona Tarântula, que a sua sabedoria vem bem antes do filósofo Aristóteles e por isso mesmo, avisa para que o povo abra os olhos bem abertos e avivem sempre a memória, para não se deixar levar sempre por aqueles que sempre querem tirar um biquinho e dar uma mamadinha nos peitinhos públicos de uma prefeitura, de uma câmara de vereadores, com um empreguinho público qualquer e assim por diante. É preciso, receita Dona Tarântula, que todo mundo lembre que a memória é para pensar e a inteligência é para saber discernir, distinguir o que é ruim do que é piorado. Não adianta mudar seis por meia dúzia e ficar na mesmice de sempre. O povo, o eleitor deve sempre saber que votar no errado, trazer o atraso, é querer viver no eterno sofrer, enquanto os picaretas ficam por cima da carniça mangando do besta, que deu seu voto sem pensar e colocou mais uma vez o mesmo picareta no poder. Quem quiser se vingar, que faça uma vingança boa, nem seis, nem meia dúzia, mas algo que seja diferente de verdade!

TEM GENTE DE BEM – Dona Tarântula não se prontifica a votar em qualquer um, portanto é que, gosta sempre de aconselhar para não se votar em “fuleiragem”, isso porque, existe muita gente de bem que merece um voto e ser colocada no poder. Trata-se de uma minoria, mas se bem pensar, analisar direitinho, que existe gente boa, disto não se pode ter a menor dúvida. É hora minha gente, de se ter critério para escolhas. Difícil?- Pode ser, mas que existem várias alternativas e saídas honrosas, disso pode se ter certeza que se tem. Basta tão-somente que o povo dê um basta de vez e abra uma chance a quem realmente merece, afinal de contas, o poder público de qualquer lugar, não pode jamais ser considerado como se fora uma mera “casa de mão Joana” qualquer. Pensem bem nisso, minha gente, alerta Dona Tarântula! – Vamos dar um basta aos useiros e vezeiros do atraso de uma vez por todas, certo ou não, camaradas!

HOJE TEM INAUGURAÇÃO - O governo do jovem prefeito, Jonas Neto, entrega a obra que será a menina dos olhos de sua administração. Trata-se da Escola Recreação Infantil recuperada e ampliada. Tá parecendo até escola de primeiro mundo. O evento será por volta das 15h00 e com certeza, avisa Dona Tarântula, estará por lá com seus olhares atentos, fazendo de conta que ninguém perceba a sua presença, afinal a sua função é observar o que acontece de positivo e negativo, seja lá onde for, mas com certeza, esse evento vai ser de salutar importância para a educação de Buíque.

SAÚDE PEDE SOCORRO - Claro que Dona Tarântula não é nada imbecil a ponto de não estar sempre atenta ao que acontece, mas apesar do esforço que se vem empreendendo, a saúde de Buíque, infelizmente, verdade seja dita, continua um caos e vez por outra, nem médico tem para atender o povo. Pior, é que de uns tempos para cá, não nasce ninguém mais em Buíque, o que implica em dizer, que buiquense nato não existe mais, porque ao nascer em Arcoverde ou noutro lugar qualquer, saí na certidão de nascimento com a naturalidade de onde nasceu, o que é uma coisa séria e deve ser repensada. No item ambulância, parece que não existe problema, mesmo assim, inexplicavelmente, das unidades novas que são adquiridas, com pouco tempo de uso já estão todas elas deterioradas. O que está acontecendo? - É mau uso das ambulâncias por parte dos condutores, ou irresponsabilidade mesmo dos servidores, por alguma insatisfação, daí se vingarem na depredação intencional dos veículos, que tem como objetivo transportar doentes, hem?. Assim não dá! - Alguma coisa tem que ser feita. O bem público deve ser cuidado com responsabilidade, alerta Dona Tarântula!

SÓ É OTÁRIO QUEM QUER SER – Por hoje, para encerrar, que Dona Tarântula já está pê da vida, manda um recado, que no mundo da picaretagem política, só é otário mesmo quem quer ser. A cabeça de cima ficou para pensar, por isso mesmo, para quem tem massa encefálica em plena conscientização, é para usar da inteligência e não da eterna “burrez” de sempre. Se existe alguém que pensa mais pela cabeça da genitália do que pela cabeça pensante, já se pode dizer que está arredondamente perdido, afinal de contas, a função fisiológica da cabeça de baixo só se presta para atender aos desejos da libido sexual, ou não camaradas!

quinta-feira, 24 de março de 2011

A POLÍTICA COSTURADA PONTO A PONTO


1. - A decisão recente do STF, nada mais fez do que confirmar preceito de ordem mantamental da Constituição Federal de 1988, quanto à anterioridade da lei eleitoral, que só valerá no próximo pleito, quando editada no mesmo ano de eleição. A validade da lei para 2012, está assentada numa decisão correta da Suprema Corte Brasileira.

2. - Com essa decisão, políticos ditos ficha-sujas, vão ter a oportunidade de voltar e, os que assumiram há pouco tempo, vão ter que fazer às malas e dar adeus ao curto espaço de tempo em que estiveram usufruindo das benesses do poder.

3. - Na verdade sempre argumentei, que a lei, por ser de redação dúbia intencionalmente pelos seus feitores, deveria estar em consonância com a Lei Maior, e não a esta se sobrepor, afinal de contas, nenhuma lei ordinária ou complementar, pode estar acima ou no ápice da base piramidal do organograma de leis do País.

4. - A Mesa Diretora que deu posse ao vereador Ernani Neto, no lugar do Vereador Til, que já houvera empossado Dona Rose, em nome da Coligação da qual este último houvera participado, antes de seu falecimento, vai ter que voltar atrás em sua decisão de ter empossado o vereador Ernani, na condição de suplente do partido e reempossar novamente, a vereadora Dona Rose, ex-primeira dama de Buíque, por determinação judicial.

5. - A questão de fundo que se abre agora nesse desenrolar, é a discussão jurídica que ainda continua indefinida no País, de que: a quem pertence a vaga em caso de morte, troca de partido e renúncia de mandato, ao Partido ou à Coligação pela qual o candidato foi eleito? - Para uns, ao partido, já para outros, é da coligação. Enquanto não houver uma decisão da Suprema Corte, a roleta vai continuar.

6. - A decisão da Justiça local que concedeu em caráter liminar, o direito de posse à vereadora Dona Rose, vai gerar ainda mais debate nessa questão, que será agora guerreada a nível de TRE, através de medida jurídica cabível.

7. - Se algum acidente de percurso não acontecer, a posse de Dona Rose, certamente deverá ocorrer na Sessão da Câmara Municipal de hoje, senão, em ulterior momento.

8. - Anda se falando numa candidatura por aí, para Buíque, que se vier a acontecer, tudo bem, faz parte da democracia, mas se chegar a lograr êxito, será o fim para a terra dos barrigas-pretas, pois não é admissível sob ótica de cego nenhum, a volta do retrocesso piorado, além de que, extremamente perigoso e comprometedor. Buíque precisa está sempre atento às investidas dos vivaldinos que só querem mesmo "comer" do bolo!

9. - O povo que dizem não ter memória ou memória curta, isso na verdade, é uma realidade, mas convenhamos, existem certas coisas que não podem voltar nem em sonho para Buíque. O povo tem que pensar no bem-estar de suas famílias e do próprio futuro. Se não se está gostando de certa e determinada coisa momentaneamente, então que se mude, mas que se mude para melhor. Existem muitos nomes por aí afora que poderia muito bem representar a nossa terra, senão, melhor ficar com o que está.

10. - Amanhã será inaugurada o marco administrativo da administração do jovem prefeito, Jonas Neto, a ampliação e recuperação da Escola Municipal Recreação Infantil, que embora vá mudar de nome, o mais comum é que ela será sempre reconhecida como "Recreação Infantil". A previsão da inauguração será por volta de 15h00. É bom que o povo compareça para ver de perto como ficou essa importante obra para a educação do povo buiquense.

11. - Se tomou conhecimento, que os nossos "nobres vereadores" estão fazendo corpo mole para aprovar as leis de Municipalização do Trânsito de Buíque e a do Plano Diretor. Afinal o que estão querendo esses vereadores, hem? - Será que o povo vai ter que se mobilizar e botar o boca no trombone, é isso?

12. - Vereador é eleito para defender os interesses do povo, e as leis em referência, são de suma importância para o nosso Município, ou vão querer que Buíque continue uma Índia com esse trânsito desmantelado e uma administração sem um prumo certo para lhe guiar, hem? - O que querem, afinal, os senhores edis? - Com a palavra o povo!

13. - Taí de vento em polpa à discussão da reforma política. Estão discutindo no momento tudo no varejo, para na hora de decidir, só vão aprovar no atacado o que for de interesses dos próprios políticos, ou não camaradas!

14. - Por que não entra em pauta a discussão da candidatura do cidadão que queira disputar uma eleição de forma independente, hem? - Estou falando da candidatura independente, livre, descasada, isto é, que se criem regras, alguns critérios, mas sem a exigência de filiação a nenhum partido político, que me dizem, hem? - Acho que seria uma forma mais democrática e participativa de se disputar uma eleitoral, ou não? - Que tal também acabar com o voto obrigatório, afinal estamos ou não numa democracia?


15. - Outra mais, que tal acabar com Câmaras de Vereadores, que só vota matéria com o "toma lá dá cá", hem? - Por que não substituí-las por um Conselho formado por cidadãos probos, honestos e honrados, eleitos pelo povo, mas sem direito à remuneração, hem?

A NATUREZA AGONIZANTE


            Enquanto o ser humano procura se agigantar em todos os setores da economia, das ciências, das artes, da música, na riqueza e em todos os setores em que supostamente imaginam dominar, se cria cada vez mais um fosso, em que o próprio ser humano que se ufana desse gigantismo, está se afundado e entrando num buraco negro sem volta. A questão de fundo, é o descuido com que se vem procurando tratar à natureza, que não vem recebendo a merecida atenção, por isso mesmo é que, em sua agonia sem limites, tem buscado na medida em que vem sendo abusivamente vilipendiada, dá o troco a quem está a maltratá-la. Os fatos naturais, como os que aconteceram no Japão e em várias partes do mundo, não são gratuitos e alguma razão de ser, existe. Com a natureza não se brinca, mas enquanto muitos não estão sequer dando a mínima atenção para o meio ambiente, o desenvolvimento sustentável que se deveria ter, enfurecida, sem mandar recados, ela vem se remoendo de dentro para fora ou vice-versa e o estrago é avassalador, sendo para muitos irrecuperáveis, a exemplo das recentes vítimas e também, àquelas da tragédia não muito distante, ocorrida no Rio de Janeiro e os tantos tsunamis que vem destruindo vidas e devastando áreas imensas.
            A gente pode perfeitamente perceber, o quão é tratado com menosprezo, desdém e sem se dá conta dos prejuízos que poderão advir, quando o ser humano não está procurando dar o devido valor aos elementos da natureza, que nos proporciona vida, sustento, condições dignas e uma vida que se pode viver e desfrutar da melhor maneira possível, desde que, o meio ambiente, a natureza, seja o centro do presente e do futuro a ser repensado com a máxima urgência, senão seremos engolidos como meras formiguinhas pela própria natureza que a humanidade está dela fazendo pouco caso.
            A ninguém é dado o direito de mudar o que foi fruto da criação da Supremacia Universal, pois não se pode está acima dos mistérios que se desconhece. Mexer demais em alguns elementos naturais, sem o devido controle e tão-somente em nome da riqueza, da ganância, do individualismo próprio de cada um, tem feito com que a natureza, reaja de forma voraz, cruel e sem respeitar cor, credo religioso ou opção de vida de quem quer que seja. Existem vários fatores negativos em que a natureza se vê atormentada quando nela se esmiúça, se fuça demais, a exemplo da ocupação irregular do solo pela humanidade, seja aqui ou em qualquer lugar, os prejuízos e os descontroles acontecem e sempre vem acarretando inúmeros prejuízos de ordem material e o pior, que é irreparável e que não tem mais volta, é a destruição desmedida, a extinção da própria espécie humana.
            Com tudo que se vem assistindo e acontecendo no mundo dito moderno em que vivemos, é que a natureza, o meio ambiente, o que está ao nosso redor, deve ser repensado com urgência, para que possamos ter uma natureza em que dela possamos viver e com ela conviver com harmonia, sem contudo, deixarmos de viver e de usufruir das riquezas que ela nos dota de graça. Deveríamos viver num mundo, já que quando se morre nada se leva, em que todos aprendessem a conviver em harmonia uns com os outros; onde não houvesse famintos, miseráveis e em que todo mundo, indistintamente, pudesse usufruir de todas as riquezas que são produtos da própria natureza, que na verdade, não pertence a ninguém pelo princípio do próprio direito natural. Já que estamos aqui de passagem, devemos pois, fazer da natureza um meio de que haja o desenvolvimento, mas que tudo que seja produzido, o seja de forma em que andem juntos a humanidade, a sustentabilidade e o desenvolvimento em favor de todos nós, uma vez que, só assim, poderíamos vir realmente a ter um mundo melhor.

quarta-feira, 23 de março de 2011

DIREITO DE SER LIVRE DE MÃOS ATADAS


                   A criatividade do poder legisferante na sua fúria voraz, de cada vez mais produzir leis penalizantes ao extremo, tem trazido uma série de conseqüências trágicas para a população menos favorecida, no que toca ao cometimento de delitos de menor gravidade, e que pela letra da lei são agravados além do humanamente razoável, sobretudo ao se deparar em muitos casos, na miopia do fiscal da lei e no despreparo da mão do aplicador.
                   Uma coisa é se fazer a lei diante de determinados clamores sociais, como vem acontecendo no Brasil, mesmo estando o legislador, distante de como os fatos circunstancialmente podem ocorrer; outra coisa é a interpretação da lei letra por letra na visão de quem vai aplicá-la, sem tirar nem colocar uma vírgula sequer, sem abertura nenhuma, mesmo que o bom senso recomende outra forma de se interpretar a legislação vigente, sem que de sua essência estejam o fiscal e o aplicador afastandos e, indo mais além, existem fatos circunstanciais, que mesmo em se tratando de crimes tipificados como hediondos, ainda assim, recomenda o direito o uso do bom senso e da razoabilidade, dentro de determinadas proporções à realidade do fato, sem que o acusado tenha cerceado o seu sagrado direito de liberdade, mesmo que provisoriamente.
                   Infelizmente, temos nos deparado com uma realidade fática, em que um mero acusado pelo cometimento de determinado delito, pura e simplesmente por indícios focados num malfadado inquérito policial, se torna alvo certeiro do fiscal da lei, que sem pestanejar denuncia o acusado, é contrário em muitos casos à sua liberdade provisória, que é um direito constitucional e de logo pugna pela condenação do indivíduo pela mais cruenta letra da lei, sem levar em consideração uma série de fatores, que a boa experiência no seio da sociedade onde se está atuando requer, porque não residindo no local do delito, não pode realmente nada conhecer ou ter uma visão mais ampla dos fatos e fenômenos sociais.
                   Na verdade, o mundo real não é a mesma coisa sonhada no banco da faculdade, neste o acadêmico traça um sonho, naquele, o indivíduo dotado de uma responsabilidade vai pisar no chão, vai ter o contato direto com a realidade palpável e, para isso, é necessário ter vivência, ter experiência, senão vai semear injustiças, mesmo pensando que está exercendo o seu mandamus legal, e aplicando a lei em toda a sua plenitude. Ora, não se pode aferir, por exemplo, em nossa região, um crime rotineiro de tráfico de drogas cometido numa das favelas do Rio de Janeiro, com um mero “traficantezinho” pé de chinelo destas plagas, sendo ainda primário, e a partir daí, com base no princípio da dureza de se aplicar a lei, cominar pena nos mesmos moldes de um traficante contumaz; não se pode também, considerar a periculosidade de um cidadão destas plagas sertanejas, portador de bons antecedentes, com a posse e comerciliazação de pequena quantidade de munição e dar-lhe tratamento igual ao dispensado a um grande traficante internacional de armamentos pesados. Uma coisa é fiscalizar e bem aplicar a lei; outra é dela se utilizar para querer ser a palmatória do mundo e achar que com isso está sendo um zeloso fiscalizador da boa aplicação da lei.
                   O falido sistema prisional brasileiro bem demonstra a nossa preocupação quanto à boa aplicabilidade da lei. A superlotação reside no fato de que muitos dos que ali estão, poderiam muito bem ter resgatado o seu direito de responder em liberdade provisória, desafogando assim, o caótico sistema, diminuindo o custo por recluso, e agilizando desta feita a Justiça para cuidar de outros feitos. Do jeito que está com a miopia de certos fiscais e aplicadores da lei, de teimarem em manter presos por três, quatro meses e até mais, um mero receptador ou ladrãozinho de galinhas, ou que tenham cometido outros delitos de menor potencial ofensivo e que poderiam muito bem responder soltos, a coisa tende cada vez mais a piorar, a recrudescer e cada presídio é na realidade, uma potencial bomba chiando, um estopim aceso e, enquanto isso, ressocializar na verdadeira acepção da palavra, fica a ver navios e marginais vão sendo fabricados por falha de interpretação do próprio sistema que aprisiona e mantém preso quem poderia está solto e, assim, o sagrado direito de ser livre fica caolho.

CAMA, EVOCAÇÃO DO AMOR E DA TRAIÇÃO


Berço sagrado
Que evoca o dormir
O amor, o porvir
O prazer mais amado.
Cama,
Leito da vida,
Onde abertas feridas
Se esquece e se ama.

Cama também
Da vida mundana
Dos sonhos desfeitos
Do dormir sem leito.

Cama sem lar
É dor no meu peito
É coração sem jeito
Da busca, do amar.

Cama,
Altar sagrado da vida
Das intimidades, das idas
Da busca do prazer de quem se ama.

Cama,
De noite
No açoite...também
Se engana...