QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

quarta-feira, 14 de fevereiro de 2018

FOI UM GRANDIOSO CARNAVAL E TUDO CORREU EM PAZ


        Mais uma vez o prefeito Arquimedes Valença, realizou um grandioso carnaval em Buíque. O lado positivo de toda essa festa momesca, foi o fato de que tudo correu na maior paz, sem incidentes que viessem a merecer maiores preocupações e tudo terminou com chaves de ouro.
        Nosso carnaval de Buíque já é reconhecidamente um dos maiores carnavais do interior de Pernambuco e é de um brilho excepcional, tendo ganhado a projeção que se apresenta, com o prefeito Arquimedes Valença, que mesmo sem se descuidar dos problemas do município, que apesar da atual crise brasileira pela qual passamos, ainda assim, com muita habilidade foi possível realizar mais um majestoso carnaval em Buíque.
        É de conhecimento de todos, tanto os daqui de Buíque, quando os que não são natos da terra, que nosso carnaval já tem uma tradição de longos anos e não seria possível que essa grandiosa festa não viesse a brilhar por mais um ano. Houve muita diversão, muita animação e quem ganhou foi o folião que durante esses quatro dias pode brincar para valer.

        Sabe-se que não é fácil se fazer uma festa da envergadura de nosso carnaval, mas com muita habilidade a equipe do atual governante não mediu esforços para que a alegria do povo buiquense buscasse mais um ano se alegrar com mais um carnaval que abrilhantou esse grandioso evento buiquense e, claro, o que há de se esperar é o fato de que, nos anos subseqüentes melhores carnavais venham a acontecer. 

domingo, 4 de fevereiro de 2018

A TRÊS NOITES DE ESCURO DE BUÍQUE


      Diziam os mais antigos de Buíque, como que numa profetização, que iria chega um período em que teríamos três dias e três noites de profunda escuridão e, nesse interstício temporal, o sobrenatural tomaria conta de Buíque, que durante as noites, os pecadores de todos os matizes, àqueles amancebados, os maus pagadores, os criminosos, os maldosos iriam para pagar os seus pagados, “correr bicho”, ou seja, se transformarem em bichos infernais e todos iriam queimar no fogo incandescente do Inferno. Era algo em que o povo acreditava mesmo, até os que se diziam esclarecidos da mesma forma. No mundo de hoje parece até piada, mas era isso mesmo que acontecia e muitos religiosos da Igreja Católica temiam de verdade esse a chegada desse dia.
        Não é à toa que muitos procuravam levar à Igreja folhas de coqueiro baié para que o padre benzesse e que deveria ser colocado em todas as portas das casas dos seguidores do catolicismo, para se protegerem e os bichos não entrarem em suas casas para não comê-los vivos. Aqui está se falando em comer de verdade, não no sentido figurado, porque os bichos seriam os mais ferozes e horríveis possíveis. Era como se o Inferno tivesse aberto as suas portas e tivesse surgido em Buíque, para os pecadores pagaram finalmente, pelos seus pecados. Seria uma espécie de tríduo da escuridão do juízo final somente em nossa terra.
       Pior é que o povo levava essa “profecia” à sério mesmo e a gente percebia muita gente, principalmente da zona rural e da pequena periferia de Buíque, bem como do centro da cidade, com as cruzes de palha de coco pregadas em suas portas. Era inacreditável mais era a mais pura realidade. Tinha mais, isso saía inclusive das missões. Lembro bem, de Frei Damião com Frei Fernandes, porque tudo que eles pregavam o povo acreditava que era verdadeiro, a exemplo de outros padres seus discípulos que não deixavam de lembrar-se dos pecadores e das três noites de escuro que Buíque esperava para castigar os pecadores e maus.
       Nessas últimas duas noites em que faltou energia em Buíque por mais de três horas consecutivas, o que é um inferno com o calor e as muriçocas a atanazar a vida do cabra, foi que me veio à mente essa questão das três noites de escuro em que os pecadores seriam transformados em monstros, bichos e iriam correr o Município afora, para eliminar, comer os pecadores de todos os matizes e por isso mesmo, tudo isso me metia medo também, porque ainda criança, minha mãe católica de carteirinha, também não deixava de forma alguma de colocar as suas cruzes de palha de coqueiro, bentas pelo sacerdote da Igreja Católica, justamente para se livras dessa maldita três noites de escuridão, que se incutia na cabeça do povo buiquense, que iríamos ter que enfrentar. Era questão de tempo, mas que elas viriam, todos os crédulos tinham plena certeza. Por isso mesmo, se hoje for mais uma noite de escuro provocada pela inércia da Celpe, com certeza poderá ser concretizada a profecia dos mais antigos. Então minha gente, que cada um procure buscar a sua cruzinha benta de palha de coqueiro, para não permitir que os pecadores buiquenses que serão transformados em monstros, não adentrem em seus lares para lhes fazer de comida. Fica dada a dica!

    O pior mesmo é que se alguém reparar, ainda existem pessoas mais humildes que ainda usam esse tipo de cruz benta em suas portas, é só reparar.

quinta-feira, 1 de fevereiro de 2018

ESGOTADOS TODOS OS RECURSOS SÓ PARA ENROLAR, A PRISÃO DE LULA CHEGARÁ


       Esse processo contra o ex-presidente Lula, na questão do triplex, que é um desdobramento da Lava-Jato, foi julgado pelo Juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal do Paraná, em 20 de junho de 2017, condenando-o a uma pena de reclusão de 9 anos e 6 meses de reclusão. Pois bem, como é de direito, manejado o recurso cabível para instância superior o Tribunal Regional Federal da 4ª Região, com sede em Porto Alegre, em tempo recorde, pouco mais de ano e meses, eis que a condenação de primeiro grau vem a ser confirmada pela 8ª Turma daquela Corte Federal e, pior ainda, com uma dosimetria aumentada de pena para 12 anos e um mês de reclusão, o que só vem mesmo a envergonhar essa enodoada Justiça Brasileira.
        Como advogado militante na casa dos 28 anos de profissão, tenho atuado muito na área penal e, durante todo esse tempo, nunca vi a Justiça julgar alguém com a rapidez com que foi o julgamento do ex-presidente Lula. Ora, além de não existirem provas cabais, induvidáveis e irrefutáveis do ponto de vista documental, bem como, testemunhas, que no ramo do Direito Penal, pela sua valoração é denominada a “prostituta das provas”, pelo voto escrito previamente e lido no dia do julgamento de lula naquela Corte de Segunda Instância da Justiça Federal da 4ª Região, o que mais foram valorizadas foram as provas testemunhais dadas por outras pessoas também acusadas no mesmo processo ou em outros com alguma ligação, em que para livrarem as suas caras, dizem o que bem querem e entendem, desde que possa sair ilesas. Aí há de se questionar, até que ponto no Direito, podem ser aproveitadas as provas que mais lhes convier e não as que carecem de fidedignidade com a realidade plausível da instrução processual? – Bem, outro questionamento é o porquê de em se tratando de um julgamento de apreciação de um caso por uma Turma Recursal, se pressupõe em primeira mão, discussão daquilo que vai ser colocado em julgamento. Então há de se indagar, por qual razão os desembargadores já vieram com os votos identicamente prontos, aonde foram tão-somente lidos e quase que praticamente um voto sendo control + C, control + V, se mudando apenas alguns conceitos e palavreados com o fito de não dar muito na cara, hein? – Parece-me estranho uma Turma de Juízes, que devem agir com isenção, ética e retidão no exercício para os cargos os quais ocupam, julgaram como juízes juridicamente dentro do que está no processo e na legislação e não, no sentido político buscando se dar um sentido jurídico, que na verdade não existiu desde o início do processo pela primeira instância, quando foi condenado. Outra questão que não sai da cabeça de pessoas mais conscientes deste país: Qual a razão da velocidade da luz, nesse julgamento do ex-presidente Lula? – O que existe por trás de tudo isso? – Uma conspiração arquitetada pela quadrilha que está no poder e pela elite podre deste país? – Existem muitas dúvidas que pairam no ar, que muitos dão resposta, porém nenhuma delas convencem as mentalidades mais conscientes deste Brasil insano que chegou a esse ponto!
      Agora, que os desfechos que se estão percebendo, com o manejo de recursos jurídicos que se têm em mãos, até mesmo um Heabeas Corpus Preventivo, foi negado pelo STF, o que não foi negado para Aécio e outros que fazem parte do status quo dominante da ocasião e que estão enturmados com os mandantes da Nação. Nas planícies, com exceção de alguns estados, se o sujeito for endinheirado, renomado, tenha algum lobby com poder de influência na Justiça, ainda consegue algum resultado positivo no pedido de um HC, porém quando se trato de um pobre de Jó, que nem na prisão deveria estar, milhares desses são negados. Aí há de se perguntar: estamos numa Justiça seletiva e em Tribunais de Exceção, em que o que vale para uns do ápice da pirâmide, não vale para quem está na base! – Que Justiça tacanha e vergonhosa essa nossa, hein, gente!
      Manejados todos os recursos possíveis, cujas apreciações estão sendo processadas com a mesma velocidade da luz, com certeza é questão de dias, de horas, a prisão do ex-presidente Lula, porque ele não se safará por ter optado, mesmo que tenha cometido erros dos quais jamais poderia ter se envolvido, pela população mais pobre e sofrida deste país e ter feito alianças com países mais carentes e necessitados do mundo. O pecado maior de Lula, não é ter participado de qualquer ato de corrupção ou de falcatrua, senão, os que estão no comando do poder, teriam perdido os seus mandatos e estariam apinhados na escorchante população carcerária de nosso país. Então outra razão inexiste para que um processo venha a ser julgado com rapidez da velocidade da luz, porque a gente ver processos sendo digeridos pelas traças nas prateleiras da Justiças, que distam dos anos de 1998, 1999, 2000, 2001 e anos seguintes, sem sequer chegando a se dar um impulso processual e muitos deles, prescrevem intercorrentemente e são obrigatoriamente extintos pelo decurso do lapso temporal que os engoliu pela morosidade e inépcia da Justiça. Por isso mesmo é que sempre digo, o Julgamento de Lula é uma farsa de um jogo político para tirá-lo de vez de vir a ser presidente da república novamente, porque com tudo que estão fazendo, ele ainda líder nas pesquisas de opinião.

         Na verdade muitos estão ansiosos, para pipocar fogos de artifício, fazer carreatas, movimentos de euforia, com a prisão de Lula, é isso que muitos insanos estão prontos e no aguardo de que essa Justiça Caolha venha a fazer mandando Lula para uma masmorra qualquer, pagar pelos crimes de ter dado pão ao pobre, escolar para quem queria aprender e de ter projetado esse país pelo mundo, esta é a razão maior para que Lula venha a ser encarcerado como um preso comum qualquer, ficando à mercê de que um dia a História venha a absolvê-lo de toda essa injustiça que estão fazendo contra um retirante nordestino que teve a ousadia de ser presidente do Brasil, ter ousado fazer a transposição do Rio São Francisco, porque isso só veio a contrariar muitos interesses de seitas, da elite e do capital nacional e internacional, que só querem viver de sugar um povo que está fadado a viver como manada de gado, esta é a razão maior de muitos querem ver o ex-presidente mofando numa cadeira ou numa masmorra medieval qualquer.

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

O BRASIL REDESCOBERTO E O DECRETO ACABANDO A CORRUPÇÃO NO BRASIL



         Pois bem, a partir do dia 23 deste mês, data de julgamento do ex-presidente Lula pela segunda instância do TRF da 4ª Região, com sede no Rio Grande do Sul, Porto Alegre, o Brasil foi redescoberto e tudo passou a partir desse contraponto inicial, a ser bem diferente do que vinha sendo antes.
        Com esse julgamento de cartas marcadas e previamente com os votos dados pelos três desembargadores da 8ª Turma daquele Tribunal Regional, que só fizeram ler os votos previamente acertados e ainda não satisfeitos, aumentaram ainda mais a dosimetria da pena, passando de nove para doze anos de prisão em regime de reclusão, o que nos faz crer que em nosso país, está se brincando de fazer justiça e quem a está aplicando, está selecionando pessoas, fazendo-as de bodes expiatórios e os algozes julgadores, de justiceiros. Esquece-se a Constituição da República Federativa do Brasil, a estupram, estraçalham-na e a tornam uma mera colcha de retalhos que não serve sequer para fazer um forro de cama dos mais chinfrins que possa existir.
        Com esse julgamento que todo mundo consciente deste país, já poderia prever o resultado, a partir dessa data, o país deixou de bater panelas, os protestos deixaram de existir, o salário mínimo aumentou para quinhentos dólares, a pobreza praticamente foi varrida do mapa brasileiro, os hospitais públicos se tornaram em hotéis de luxo de cinco estrelas, nossas fronteiras foram alastradas com o lazer para mundos nunca dantes pisados, por gente pobre, empregada doméstica; todas àquelas pessoas que nunca imaginaram ter um curso superior, hoje estão com o seu canudo nas mãos ou pelo menos encaminhadas, porque o problema maior do Brasil era Lula para com o estancamento de nossa economia, e não os próprios detentores do capital nacional e internacional. Com Lula fora, o entrave para os ricos ficarem sempre mais ricos, se foi de vez e a pobreza, ficará no lugar merecido, sempre mais pobre.
        Pois bem, com a condenação de Lula, dia 23, muita gente lavou a alma, em que todo mundo estava com medo de em pleno século XXI, o comunismo que nunca prosperou, chegar ao Brasil, porque o vermelhão iria dominar o país do Oiapoque ao Chuí, porque esse retirante nordestino que teve a audácia de ser presidente do Brasil, iria implantar o socialismo e igualar todas as classes sociais para que não mais prevalecesse a injustiça entre ricos e pobres e ele representaria o perigo dos ricos ficarem pobres e estes, com uma vida melhor. Pior é que até mesmo pobres que foram beneficiados com vários programas sociais e educacionais, descem a lenha em Lula nas redes sociais, acreditando no comando da voz de uma mídia fascista e de uma minoria da elite brasileira nazista, que só quer ver o pobre pelas costas, mas mesmo assim, tem pobre que adora levar chibata de rico, puxar o saco e ainda assim, achar bom e bonito. É esse o cenário de um Brasil com a condenação de Lula.
        Lula condenado dia 23, até mesmo Marieta Severo, ex-mulher mal amada de Chique Buarque de Hollanda, fez um escrito, colocando toda a culpa por tudo em Lula, logo ela, que fazia dueto com Chico em defesa do metalúrgico e retirante nordestino, está agora, colocando a culpa por todas as mazelas brasileiras no Lula, também! – Pois é, com a condenação de Lula, o Brasil mudou, não mais existe corrupção, os corruptos que existiam serão presos (???) ou então se regenerarão por indulto presidencial e por Decreto, o presidente golpista, vai baixar um decreto presidencial textualizado nos seguintes termos:

DECRETO Nº 013/2018

Artigo 1º - O Presidente da República Federativa do Brasil, usando das suas atribuições legais e constitucionais, DECRETA:

Artigo 2º - Considerando a condenação de Lula no dia 23 de janeiro de 2018, a corrupção brasileira não mais existe em todas as esferas dos poderes, será varrida do mapa por este Decreto;

Artigo 3º - As atividades investigativas da Operação Lava-Jato, serão todas encerradas e, os processos em curso, devidamente extintos e os indiciados serão sumariamente absolvidos;

Artigo 5º - Todos os condenados pela Operação Lava-Jato, exceto os condenados que eram filiados ao PT, terão as suas penas perdoadas e serão imediatamente colocados em liberdade;

Artigo 6º - Todas as operações financeiras e manejadas de verbas orçamentários da União, consideradas ilegais pelo TCU, serão sanadas através do presente Decreto;

Artigo 7º - As dívidas existentes entre credores pessoas físicas e jurídicas das entidades públicas, serão perdoadas à débito da União, que assumirão o ônus e colocarão na grafia contábil a crédito do PT, que arruinou o pais durante treze anos;

Artigo 8º - Será decretada a extinção do PT, por ter sido o responsável único pela derrocada financeira e por ter implantado a corrupção no Brasil, sendo seu único inventor, mentor e implementador;

Artigo 9º - Fica proibida a publicação, divulgação em qualquer meio de comunicação, quer convencional ou internatário, de qualquer assunto vinculado ao PT, Lula e seus filiados e simpatizantes;

Artigo 10 – O dia da independência do Brasil, deixa de ser comemorado em 07 de setembro, passando a ser oficializado o dia 23 de janeiro, como o DIA DA INDEPENDÊNCIA DO BRASIL;

Artigo 11º - Fica terminante proibido em todo o Território Nacional, a menção ao PT, ao lulismo e a detratação dos homens que a partir deste decreto foram considerados homens honrados e honestos;

Artigo 12º - Após a prisão do ex-presidente Lula, a herança de sua condenação perdurará até a sua quinta geração, sendo cassados os direitos políticos de qualquer ascendente, descendente, parente colateral ou afim e,

Artigo 13º - Ficam revogadas as disposições em contrário, sob pena de quem não obedecer, ser colocado na prisão de forma incomunicável, sem direito à defesa ou a um advogado. Cumpra-se, publique-se, passando a vigorar este Decreto a partir da prisão de Lula, que terá comemoração cívica no Palácio do Planalto.
        Brasília, em 23 de janeiro de 2018.

Michel Miguel Elias Temer Lulia
Presidente da República

        Talvez não propriamente usando os mesmo termos e tampouco, um Decreto tem tanto poder para isso, mas dá para se acreditar piamente, que seria mais ou menos assim que todos os adversários ao lulismos, os coxinhas, paneleiros, sem-noções, alienados a afins de plantão, gostaria que ocorresse de verdade, porque em política, principalmente nesta brasileira, nada mais se espera além de golpe em cima de golpe, mas para muitos, o país voltou à normalidade, porque muitos estão calados e ainda gente com eu e tantos outros, incomodando e tendo panos nas mangas para incomodar ainda mais. 

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

BUÍQUE TEM UMA TRADIÇÃO CARNAVALESCA, QUE VEM DESDE OS ANTIGOS CARNAVAIS


        É mais do que esclarecedor que nos “antigos carnavais” de Buíque, a festa momesca era mais família, de brincadeiras entre amigos, que saiam de casa em casa, tinha o mela-mela durante o dia, em que populares saiam pelas ruas, pessoas se vestiam de papangus e à noite, tinha festa de Clube, que na realidade era no Mercado Público Municipal, pela inexistência de um Clube de verdade em nossa terra, mas era um carnaval alegre, família, com o sábado do Zé Pereira, que no sábado à noite, saia às ruas para abertura da festa do reinado de Momo, em que sempre era eleito o Rei do Carnaval e a Rainha. Hoje já não mais existe isso, porque o formato carnavalesco com o tempo mudou e, da mesma forma, as personagens são outras.
        Embora considerada pelas vertentes religiosas como festa demoníaca, em que se exagerava na bebida, nos avanços dos namores, nos possíveis amores passageiros, frutos de mais um carnaval, que em muitos casos, terminava em casamento, mas era um carnaval mais família e menos comercial do que os carnavais atuais. Os tempos mudaram, as pessoas evoluíram, as músicas não são as mesas a exemplo de músicas como: Você pensa que cachaça é água, cachaça não é água não; Olha a cabeceira do Zezé, será que ele é, será que ele é; Papai, mamãe, quanta alegria dentro do salão, quá-quá-quá, passei no vestibular...; Ó quarta-feira ingrata, você vem depressa só pra contrariar..., entre tantas outras músicas memoráveis que marcaram quem viveu essa época dos antigos e bons carnavais buiquenses. Era uma festa demoníaca, mas posso confirmar, foram período de nossas vidas, que marcaram para sempre em nossos corações.
        Era uma festa do povo, da família e muita gente se divertia para valer. Agora, depois de longas datas que se foram esse modelo de carnavais antigos, a cada ano foram modificando, até se chegar ao carnaval atual, que para nós os mais antigos, não são como antes, mas não deixa de fazer a alegria de muita gente, principalmente dos mais jovens, que são ávidos pelos tipos de festas que estão acostumados a participar e, o carnaval, pode até ser considerada nos moldes atuais, de pão e circo para o povo, mas para uma cidade como Buíque, que não tem outra fonte de renda, a não ser a exploração turística, então a festa momesco não pode ser vista por esse lado depreciativo, do politicamente incorreto, porque quantos empregos nesse período não serão gerados? – Quantas pessoas alugam suas próprias residências, para ganharem nesse período um dinheirinho a mais? – Quanto emprego direto e indireto temporariamente não se agrega ao povo do Município? – Então minha gente, o nosso carnaval, apesar das dificuldades e de tantos outros problemas que temos para resolver, evidentemente não pode deixar de acontecer, porque traz movimento para nossa cidade, geração de renda e de empregos, mesmo que temporários e isso, é o lado positivo da festa momesca, que de certa forma, por ser uma festa gigantesca, poderá trazer violência, ingestão de bebidas em exagero e uso de drogas para quem é viciado, o que não é um problema só de um carnaval a mais, mas sim, um crucial problema de todo o Brasil. Mas com certeza uma festa dessa magnitude, geralmente na atual gestão, é bem organizada, porque toda estrutura é bem montada justamente para garantir a segurança do folião, como sempre acontece. Problemas! Claro que vai haver, o que se espera é que os foliões saibam brincar e aprender a limitar a sua liberdade diante da liberdade alheia.

        No frigir dos ovos, esse carnaval com certeza, será mais um grande carnaval patrocinado pela nova gestão, evidentemente, com parcerias, porque o município com recursos próprios, não teria condições de bancar e, quanto aos demais problemas, não perderam, tampouco por conta de mais um carnaval, vão deixar de ter especial atenção, como vem tendo na gestão do atual prefeito. Então gente, que se brinque pra valer nesses dias de 09 a 13 de fevereiro! E viva o Carnaval de Buíque, um dos maiores do interior de Pernambuco!

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

RECIFE QUE VIVI NÃO É O MESMO DE HOJE



      Apesar de ser da década de cinquenta, só vim mesmo a conhecer o Recife, por volta da década de setenta, porque antes, fui com meus familiares para São Paulo, fugindo das intempéries do tempo, provocada pela seca nordestina, e por outros problemas de outra natureza da vida que aparecem sem a gente pedir.
    Quando de minha volta e da família para o Nordeste, especialmente Buíque, meu cordão umbilical, foi que, salvo engano, depois de 1974, com Blésman Modesto, com uma promessa de conseguir para mim, uma colocação pública no Estado, que cheguei pela primeira vez a ir à Recife, coisa que achei estranho, mas naqueles idos, era uma cidade bem diferente do que hoje ela é. Não cheguei a andar pela cidade, mas a gente percebia que a movimentação de veículos era grande, não tanto quanto São Paulo, mas era enorme para uma metrópole nordestina na magnitude do Recife.
        Depois que fui morar de verdade no Recife, quando passei no Concurso do BANDEPE e fui estudar em cursinho para fazer vestibular, foi que vim a conhecer melhor o Recife, isso em fins de 1976, início de 1977, quando passei no vestibular e fui estudar engenharia na UFPE, que era na época, o meu sonho, por me considerar um bom aficionado na matemática e física, por isso mesmo, de minha vocação para um curso dessa natureza. Depois de um tempo, já entrando na fase profissional, no sexto período do curso, passei no concurso interno do Banco e voltei a trabalhar no interior, isso por volta de 1980/1981, mas mesmo diante da agitação, trabalho à noite no serviço de compensação do BANDEPE e estudando durante o dia na UFPE, era de uma dureza hercúlea, mesmo assim, dava para aguentar o tranco, só vindo a enfrentar maiores dificuldades, em face de já ser casado e já ser pai do primeiro filho e por isso mesmo, foi que fui um concurso interno para uma promoção, passei e voltei a trabalhar no interior novamente. Aí tive que trancar o curso, chegando depois a perder o vínculo com a Universidade e a partir de então fiquei cinco anos sem estudar, vindo a fazer novo vestibular em Direito em 1985, vindo a ser aprovado e tendo cursado Ciências Jurídicas, o que formado em 1990, de lá para cá, venho na militância até os dias atuais.
      O foco inicial mesmo era o Recife que vivi naquele tempo. Morava numa república estudantil, da qual eu era o presidente e o meu lazer, era mais cinema, porque meu foco principal eram os estudos. Apreciava ir à Livro 7, na Rua Sete de Setembro, no Bairro da Boa Vista e, numa dessas vezes, cheguei justamente num momento em que Ulisses Guimarães estava fazendo o lançamento de um livro de sua autoria, pela redemocratização do país e àquele momento me marcou para sempre em minha vida.

        Lembro bem, que frequentava as lojas da moda, a exemplo da Dom Juan, Marconi e Ele & Ela, que na atualidade não mais existem. Também ainda existiam as Casas Pernambucanas, Casas José Araújo, que era grandiosa e atualmente, salvo engano, ainda existe uma lojinha no Centro do Recife, mas sem a menor importância. O Cine São Luiz, era o que mais gostava de frequentar, porque era uma sala vip, de primeira, além de outros cinemas que marcaram época no Recife. Era um Recife mais alegre, mas não deixava de ser violento. Talvez não tanto quanto hoje, mas a violência era uma de suas marcas. Acredito que questão de violência, seu crescimento é proporcional ao crescimento populacional e da modernidade dos produtos de consumo humano, porque é assim que sempre caminhou a humanidade.

domingo, 14 de janeiro de 2018

DENTRO DO ÚTERO



        Imagine-se dentro do útero materno, na escuridão infinda, sem saber sequer de sua existência, de que é mais uma vida em gestação e sem nenhuma expectativa de que exista para o mundo real ou se vai chegar a existir de fato. Pois bem, existem dias que a gente se sente desse jeito, como se o mundo tivesse se fechado como por encanto, completamente para você, e você não vê ou absolutamente nada, a não serem trevas e escuridão. Medo já não sente mais, apenas um tranca de sentimento dentro de si, que só lhe dar vontade de chorar, de tanto sentimentalismo misturado e perdido na vida toda em que viveu ou vegetou.
        Pois bem, é dentro desse útero, que a gente passa a imaginar, se realmente essa vida valeu à pena ou não; se o que fizemos durante todos esses anos foi certo ou errado; se você está, apesar do pouco que lhe resta, buscando vascular tudo que fez e sopesar numa balança, se realmente fez mais ações certas ou erradas, mas aí, você cai dentro de si, e não se contem em lágrimas que jorram para dentro de seus próprios sentimentos represados, e se fecha em copas dentro de seu próprio útero materno, de onde passou um período de nove meses, sem perceber que existia e sem ver o brilho do Sol ou o respirar do oxigênio diretamente pelas suas narinas. É esse o mundo em que a gente por vezes se sente na vida.
        Praticamente, contrariados por muitos, principalmente por carne de nossa carne e aí, a tristeza que nos afeta, ainda é maior, porque a gente que planta a semente, não quer jamais que ela venha a fenecer ou deixar de crescer e ser justamente o fruto de tudo que a gente mais esperava. Quanto a gente se sente frustrado em nossa lavoura, é muito entristecedor, que chega a nos fazer gemer sem sentir dor e chorar com o verter de lágrimas para dentro do nosso eu ontológico que nada pode fazer, porque quando a planta se sente que está forte, sedosa e de que já brotou a semente, ela já não mais precisa mais da gente para aguá-la, regá-la, arrancar as ervas daninhas nocivas ao seu redor, e a partir de então, já não mais precisa de um cuidador, porque a certa altura de determinado campeonato da vida, quando se ganha voo próprio como as aves, as plantas agora somos nós, que precisamos ser manietados por alguém de quem tanto cuidados e por vezes, muitas pessoas não encontram mais, depois de tanto se doarem, de quem venha a delas cuidar.

        Pois bem, é assim a vida, do útero materno, dos vários úteros que nos sentimos por vezes aprisionados, sem ter a quem nos acudir e tudo vai se tornando livre, com voos próprios e nada mais podemos fazer, sequer alguém que venha a nos acudir nas dores e nos sofrimentos que sentimos no decurso finalístico da vida, porque é assim que caminha a humanidade e, o final derradeiro, este pode ser o último e que será esquecido pelos pósteros em poucos minutos, horas, dias, tempos, a depender do sentimento humano que esteja impregnado na alma de determinadas pessoas, que ainda, certamente, resguardam um pouco de sentimento de mundo, principalmente para com os seus mais próximos. A realidade da vida em seu curso inexorável, é dura, mas é nessa dureza de baraúna, que se vive e aprende a viver, vida esta que só tem um caminho, a transformação no pó do qual viemos e só!