SLIDE POSTAGENS

QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

POR QUE FAZER O ERRADO, SE PODE FAZER O CERTO?


     Em quaisquer campos de atividades humanas, se tem geralmente, duas escolhas, fazer o certo, ou o errado, porque uma terceira via não existe. É o preto no branco e ponto final. No geral a natureza humana sempre está pendente para a segunda opção, que inexplicavelmente, ninguém sabe dizer o  porquê essa opção em se fazer o mal, quando qualquer um de nós pode perfeitamente fazer o bem e se seguir pelo caminho certo das opções que a vida oferece a cada ser humano vivente.
    Até parece uma doença crônica incurável, terminal que está incrustada na cabeça do ser humano para, de um modo geral, buscar seguir sempre pelo caminho errado e fazer tudo que está ao seu alcance em praticar, mesmo tendo ciência própria de que tudo aquilo é fruto de uma árvore envenenada e erro crasso e grosseiro. Não dá para entender até que ponto chega a ambição humana para sempre enveredar mais para práticas maléficas do que as benéficas que muito bem poderia desempenhar no caminhar da vida e, desta feita, ajudar os mais carentes e necessitados, que aumentam geometricamente mundo afora.
    Difícil explicar, muito menos justificar as razões que levam muitas pessoas a pensarem sempre nelas próprias do que propriamente, ao mesmo tempo, em outras pessoas, que à margem da miséria, da fome e das desgraças do dia a dia, precisam da ajuda de tantas pessoas que podem e deveriam perfeitamente ajudar uns aos outros, o que não ocorre neste meio social em que vivemos. Até parece que vivemos numa selva em constantes embates, no corpo à corpo, pela sobrevivência, como se vivêssemos nos digladiando numa cadeia alimentar ou produtiva, aonde quem pode o mais, pode o menos e a partir daí, vence sempre o mais forte ou maquiavélico, em termos de práticas antiéticas e contrárias ao mundo de condutas na conformidade com o que determinam alguns pactos sociais assumidos numa democracia política e juridicamente organizada.
    Bom seria que o mundo, a sociedade em que a gente vive, não fosse dessa maneira, mas pode durar anos a fio, que pouco será mudado, a não ser, que alguém de alguma forma, sempre saia ganhando, obtendo vantagem, mesmo que indevidamente ou a um alto preço contra outras pessoas e em detrimento destas, mas o ser humano, com tais ações, só demonstra cada vez mais, o tipo de animal tresloucado e irracional que ele é, e sempre foi para séculos sem fim amém!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2017

CONSTANTES ASSALTOS EM BUÍQUE, HÁ NECESSIDADE DE ALGUMAS MEDIDAS PREVENTIVAS URGENTES, POR PARTE DAS AUTORIDADES ENVOLVIDAS COM A SEGURANÇA PÚBLICA!


     A nossa cidade de Buíque, que embora já venha a contar com cerca de 60 mil habitantes, levando em consideração toda área geográfica do município, ainda continua pequena, embora tenha crescido em demasia, em sua periferia, onde está concentrada a população mais pobre, carente e necessitada. 
 Nos últimos dias, tem-se observado que vem ocorrendo constantes assaltos, quer à agências bancárias, aonde em menos de um mês, ocorreram dois arrobamentos a bancos (do Brasil e CEF), causando grandes consequências, danos materiais e trazendo medo, apreensão, prejuízos à toda nossa população e, o que mais tem intrigado os moradores da cidade e zona rural, é o fato de que, assaltos a transeuntes, mesmo depois desses grandes assaltos, vêm acontecendo pontualmente em determinadas horas e nas ruas principais de Buíque, o que só vem trazendo ainda mais medo e transtornos à nossa população, requerendo medidas reais e urgentes por parte das autoridades constituídas, que são responsáveis pela segurança pública.
    Ora, com fatos dessa natureza acontecendo com uma certa frequência, como é que uma ou duas viaturas, com até menos de quatro homens, portando armas rudes, muito aquém da bandidagem, poder conter essa onda de assaltos e de violência, hein minha gente? - Não há como se fazer uma segurança preventiva com tão pouca disponibilidade de recursos humanos e materiais, a quem tem o dever e obrigação por primar pela segurança de nossos cidadãos, mas com apenas um efetivo de 02 a 04 policiais, como é possível se dar cobertura a um município de quase sessenta mil habitantes e que dentro de sua área geográfica há distâncias que chegam até à 80 km de distância de um ponto a outro,  hein!? 
    Então, o fórmula seria aumentar esse efetivo e torná-lo mais presente nas rondas tanto diárias, quanto noturnas e, se possível, a nova administração, que tem responsabilidade com a nossa população, embora já seja um compromisso do novo governante, em colocar, equipar nossa cidade, com câmaras escondidas, em determinados pontos vitais, para, mesmo não evitando um assalto a bancos, ou outro qualquer de menor potencial ofensivo, que pelo menos se possa filmar os marginais, para nas averiguações investigativas venha a se identificar esses descarados e colocá-los na cadeia, onde é lugar de bandido. Há de se acreditar que, embora não venha a resolver essa questão que afeta não só Buíque, mas todo o Brasil, que não vai mesmo, venha pelo menos a atenuar essa onda odienta que vem acontecendo e trazendo medo e apreensão a nossa terra. Ficar inerte, omisso, é que ninguém pode, ou não minha gente! 

terça-feira, 17 de janeiro de 2017

PELA PRIMEIRA VEZ, UM PREFEITO DE BUÍQUE, ATENDE NA SEDE DA PREFEITURA, EM SEU GABINETE.


       Não é piada não, gente! - Na verdade, depois de oito anos de dois mandatos inócuos, inexpressivos e sem rumo, o prefeito que assumiu a partir de primeiro deste ano, passa a atender o seu povo no próprio gabinete de prefeito, o que é o correto, porque quem se elege como primeiro mandatário de qualquer cidade ou município, tem por dever e obrigação de atender a sua gente, na própria sede da municipalidade e não em lugar diverso e inapropriado para se discutir assuntos de ordem particulares e de interesses geral.
     O atual gestor que sempre acorda cedo e vai dormir tarde, nesta segunda-feira, cedinho já se encontrava no gabinete da sede administrativa do município, a PMB e, o ajuntamento de pessoas em fila, para serem atendidas, foi grande, mas todas foram atendidas pelo gestor público que tem grande penetração junto às massas populares, e não se faz de rogado para atender o seu povo e, na medida do possível, vir a atender determinadas demandas, o que é perfeitamente compreensível, sobretudo no início de uma gestão que só dura praticamente pouco mais de duas semanas. Sabe-se que saiu do gabinete por volta de mais de três horas da tarde, mas seu desejo não é fugir de sua obrigação constitucional em atender o seu povo, no seu próprio gabinete e isso é muito importante para qualquer popular, quando vem a ser atendido e falar diretamente com a pessoa pública, que o elegeu para ser o seu primeiro mandatário.
     Tem-se conhecimento de que a situação de nosso município, não é das melhores. Foi decretado pelo atual gestor, estado de emergência, em face da cruciante seca que já vem castigando nossa terra, há mais de cinco anos consecutivos e a falta de chuvas, tem acarretado uma série de problemas para um município geograficamente grande como Buíque, com uma população que está beirando a casa dos sessenta mil habitantes, então os problemas mais cruciantes, são mais visíveis na população da zona rural, e que só tem mesmo se agravado ao longo desses anos, e que  vem gerado problemas que requerem soluções imediatas e, sem ajuda de outros setores públicos do estado e da federação, não tem como o próprio município resolver essa situação emergencial de calamidade pública em face da seca, além do caos intencional em que foi encontrado toda esfera administração que parte da cidade aos mais longínquos grotões de toda área geográfica do município.
     Então gente, o primeiro mandatário atendendo o seu povo no próprio gabinete, é um passo muito importante, para consolidar de vez, a presença física do gestor municipal, junto com o seu povo, buscando sempre na medida do possível, vir a atender as demandas e reais necessidades de um município em que as condições em função de vários fatores interligados e dependentes um do outro, não está lá em boas circunstâncias de resolver todos os problemas existentes, e que foram empurrados com a barriga pela gestão anterior, de uma hora para outra, porque ninguém tem uma situação pronta, ou uma varinha de condão, para tudo resolver como num passe de mágica, entretanto, na medida do possível, é dever e obrigação de toda a administração pública, vir a resolver os problemas que requerem uma solução mais urgente, que tem prioridade entre tantos outros e é isso, que está buscando se fazer nessa nova gestão. Parabéns prefeito Arquimedes Valença, por estar cumprindo com a sua obrigação constitucional e a uma promessa de campanha, que com certeza, todas elas, nesses anos que vem à frente, serão cumpridas para a melhoria de vida de nosso povo.

segunda-feira, 16 de janeiro de 2017

DEVEMOS ARREGAÇAR AS MANGAS E MÃOS À OBRA, MINHA GENTE!


  Não é pelo fato de tudo está começando, que não devamos ir adiante, levantar o astral e arregaçar as mangas, e vamos ralar para valer, porque nosso povo, nossa gente, não pode mais esperar. Claro que a máquina pública de nossa terra, para infelicitação de nosso povo, foi encontrada em verdadeiro estado de calamidade pública, tanto é, que assim foi declarado estado de calamidade pública por noventa dias, porque a coisa foi encontrada preta mesma, sem acrescentar, nem tirar, mas a calamidade, só sabe mesmo quem está nesse começo de uma nova largada, para que se possa realmente recuperar e reerguer de uma vez por todas o nosso Buíque. 
   Todo mundo tem ciência própria, porque quem tem olhos está vendo objetivamente e, quem não tem visão, por terceiras pessoas chega a ter o devido conhecimento, mas os descalabros e irresponsabilidades são tantos, que não se pode dar um passo além do que está sendo dado, porque o desmanche de nossa administração pública, nesses dois quadriênios que se passaram, foi além do que se poderia esperar, ou na verdade, era isso mesmo o que se esperava de alguém que nunca teve o devido compromisso e responsabilidade com a gente de seu próprio lugar, estrebuche, se exploda quem quiser, mas foi desse jeito que Buíque foi encontrado. 
 Claro que ainda se está na fase inicial de azeitamento da máquina pública, para que se possa vir a deslanchar de verdade e tudo voltar a ficar nos seus devidos lugares, porque gente, senhas importante de arquivos e programas computacionais, não foram passadas à nova gestão, o que vem atravancando movimentos financeiros para despesas inadiáveis e imediatas; arquivos e programas de computadores, desapareceram como que por encanto, como se não houvesse continuidade de uma administração pública, o que implica em dizer, da falta de espírito público diante de uma administração, em que o município não pode parar, principalmente numa situação de calamidade, de caos e de terra arrasada em que foi encontrado e, lá na ponta, quem termina pagando é o povo, que a princípio, não pode atribuir responsabilidade a um governante que apenas pegou uma máquina pública totalmente destroçada, esta é a realidade que se tem a demonstrar momentaneamente. Ora, o que se esperar desse negro passado, se sequer alguém veio para entregar simbolicamente, as chaves da sede administrativa de nosso município, hein!?
    Por outro lado, não se sabe sequer, aonde foram parar determinados equipamentos de propriedade de nosso poder público, portando, de nosso povo, o que vem a dificultar sobremaneira, toda e qualquer administração pública iniciante e, enquanto toda essa desordem não for colocada em seus devidos lugares, as coisas não poderão funcionar como manda o figurino administrativo, razão pela qual, a nossa gente deve ter um pouco mais de paciência para que a situação venha a se normalizar.
  Quanto à movimentação de ordem financeira, diante de burocracia, a falta de dados não deixados, a fatalidade do último assalto do Banco do Brasil, na sexta-feira última, só veio mesmo a retardar de vez tal movimentação financeira, junto àquela instituição. Então gente, não se pode reclamar a princípio, apesar de que, todos tem o sagrado direito de opinar, agora que se faça, com conhecimento de causa, porque na situação em que nosso município ficou atolado até o pescoço, a situação é mesma de uma verdadeira calamidade pública, um caos instaurado propositadamente, uma terra arrasada improdutiva, para justamente prejudicar, não um adversário que veio a assumir o poder público municipal, mas sim, toda a nossa população, sobretudo a mais carente, que é quem mais se acode de iniciativas do poder público municipal e não os que sempre se acham por cima de tudo e de todos. Aperar de tudo isso, não devemos jamais arrefecer, desanimar, mas sim, arregaças as mangas e ir à luta, porque nosso Buíque não pode parar!     

domingo, 15 de janeiro de 2017

ESPAÇO POEMANDO - O OCASO QUANDO CHEGA


O ocaso quando chega
Traz junto tristeza e dor
Acaba-se toda peleja
Até mesmo no amor.

Qual suaves ondas do mar
Vai e vem de forma turvas
Não se tem mais a quem amar
Somente esperando trevas e chuvas.

Quem me dera não fosse assim
Mas nisso a vida é dura
Não existe mais jardim
E se foi a bela candura.

Rugas, dores e doenças
Começam a aparecer
Vamos entrando nas descrenças
De que tudo vai perecer.

As verdades pouco importam
Mas vão furtivamente surgindo
Vêm de repente e matam
E vamos como boi mugindo.

O ocaso vem como o entardecer
É previsível, certeiro
Se cedo não se morrer
Sai logo de nosso belo canteiro.

É duro se sabe a vida
Mas o vento já fraqueja
Se preparar para a ida
Porque a nau não mais veleja.

Dessa forma sem querer
Vamos chegando ao fim
Mesmo querendo viver
Nesta vida fútil e chinfrim.

sábado, 14 de janeiro de 2017

E ESSES ASSALTOS CONSTANTES A BANCOS EM BUÍQUE, O QUE FAZER?


    Falar em assaltos, bandidos, larápios, sejam de quaisquer naipes que forem, é muito complicado, porque quem parte para agir à margem social, contra o ordenamento jurídico então vigente, é muito difícil de se ter um controle, mesmo que o estado repressor venha a ser o mais eficiente do mundo, se bem que, ainda existe um número mínimo de países, que fatos dessa natureza não acontecem com a frequência com que vem ocorrendo em nosso Brasil e, alguma medida drástica e urgente, tem que ser tomada, porque não podemos ficar à mercê da bandidagem escancarada sem dar uma resposta à altura e, para isso, as forças de segurança, o sistema, deve estar acima do nível desse pessoal, para combater com eficiência esse veneno social, que não tem mais volta.
    A gente tem conhecimento que assaltos à mão armada, praticados por grupos de bandidos não é mérito tão-somente de cidades polos, grandes, metrópoles como São Paulo, Rio de Janeiro, entre tantas outras, mas também, de urbes pequenas, longínquas, a exemplo de Buíque, em que há menos de trinta dias foi assaltada à agência da Caixa Econômica Federal, deixando as instalações em considerável estrago material e, nesta sexta-feira (dia 13), na madrugada, Buíque foi surpreendida com a tentativa de assalto por um grupo de bandidos fortemente armados, que deixaram um estrago material considerável. Embora tenham sido perseguidos, não houve vítimas e fugiram sem nada levar. Com esses ataques surpresas, porém previsíveis, quem mais sofre é nossa população, tanto da zona rural, quanto urbana, principalmente por não poder tirar as poucas economias que tem depositadas na instituição, para fazer as suas compras semanais, no dia de sábado, que é a tradicional feira de nossa terra, prejudicando com essa insanidade bandida, que não quer nem saber, de toda uma população, o que não é possível que tais vinditas contra o estado jurídica e politicamente organizado, continuem acontecendo. Afinal de contas, Buíque é mais um alvo fácil para todo e qualquer bandido chegar aqui, e fazer o que bem quer e entende, hein, minha gente!? - Há de se acreditar que não!
  Tem que se buscar meios eficazes, através de nossas forças de segurança pública, para que, fatos dessa monta, não mais venham a acontecer, não com a velocidade que estão sendo executadas, porque não faz nem trinta dias, o alvo foi a caixa, agora, o BB e isso, tem que parar, quer de uma forma ou de outra. O que não pode, é nossa terra ficar jogada às moscas, sem que se dê uma resposta à altura, porque lugar de bandido é na cadeira ou num buraco de sete palmos, esta é a verdade, principalmente os que não tem como mais sair do mundo do crime.
    Desse jeito, a continuar nessa pisada, vai chegar por aqui um grupo de marginais, nas caladas da noite, ou até mesmo durante o dia, e promover um arrastão contra toda a nossa população e levar tudo que cada um tem, porque do jeito que as coisas estão, só falta mesmo é assaltar toda a nossa cidade e por tabela, a zona rural também. Sinceramente, algo brusco, duro, tem que acontecer para conter de vez por todas, essa corriola, dessa senda criminosa desses bandidos, que não estão nem aí para a vida de ninguém. Então gente, o entendimento tem que ser o seguinte: entre a vida de um bandido e a da um cidadão de bem, que se lasque a do bandido, esta é a realidade nua e crua em que vivemos.

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

VAI CHEGANDO UM TEMPO, EM QUE A GENTE PARECE NÃO TER MEDO NEM DA MORTE!


       Liberdade d'alma!? - Amadurecimento para aceitar uma realidade palpável!? - Se perde o medo mesmo!? - Difícil de se responder, mas pelo visto, na medida que vamos atingindo um rumo inexorável de viver, isso no curso normal das águas flutuantes, a gente vai perdendo o medo de muitas coisas, afinal de contas, ao se passar por tantas circunstâncias adversas na vida, para que mais ter medo do último momento, do último lampejo do piscar de olhos, que poderá vir mitigando aos poucos a nossa alma, a matéria de nosso corpo, nos deixando debelados e, a partir daí se pode chegar a qualquer momento, sobretudo, quando já vamos atingindo uma certa idade e aí, tudo pode acontecer a qualquer momento, mas o medo pelo visto, vai aos poucos acabando.
    A indagação que pode advir de tal observância, é a de que, será que estamos preparados mesmo para que isso venha a acontecer? - Bem, a depender da preparação psicológica do eu interior de cada um e, objetivamente, do que está em nosso derrodor, em termos de estrutura, até que se pode imaginar que realmente se está preparado sim até mesmo para morrer, o que seria bem melhor para o nosso viver, a aceitação inabalável da única certeza que temos, é que do pó viemos e a este, retornaremos, nada mais que isto.
  Vida pós-morte? - Para uns, dentro do conformismo de tantos, acreditam que apenas se muda a forma da existência, mas que, a vida continua depois desse processo inexorável de vida, mas será que histórias da carochinha também são verdadeiras? - Bem, pelo sim, pelo não, cada qual acredita naquilo que aprendeu como o que seria, não seria ou deveria ser. É assim a visão de mundo de cada um e, dentro dessa ótica, cada qual tem a sua razão de ser, de existir e de morrer.
    Na verdade, de uma coisa se pode ter certeza, pelo visto, com o passar dos anos, o medo que a gente sentia à nossa frente, de praticamente quase tudo no decurso da vida, vai acabando, como uma estação de cada ano que tem começo, meio e fim. É assim a vida e, se não podemos sobrestar, interromper um ciclo natural que não encontramos explicações plausíveis, então para que ter medo da morte, hein, minha gente!?