QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

É CHOCANTE E VERGONHOSO COMO OS PODERES CONSTITUÍDOS, QUE PARTE DO LEQUE DO JUDICIÁRIO, LEGISLATIVO E EXECUTIVO, ESTÃO SAQUEANDO ÀS ESCÂNCARAS OS DINHEIROS PÚBLICOS EM TODOS OS ENTES FEDERATIVOS


          Juiz de direito chegar a ganhar mais de 300 mil reais? – Onde já se viu isso? – Transformando em dólares, será que um juiz americano, ganha tudo isso? – Não que queira comparar essa coisa de americano com o Brasil, mas lá, pelo menos, mesmo que juiz de direito não faça concurso e não necessariamente precise ser advogado para ser juiz, lá ninguém ganha tanto dinheiro assim não. Pois bem, a farra brasileira, se faz sentir em todos os entes da federação e isso é vergonhoso! – Se é apologia ao crime ou não, mas bem que merecia tocar fogo neste país nos quatro cantos, para ver se esse país poderia vir a criar vergonha na cara. Sinceramente é muita farra com o dinheiro público, principalmente vindo de um poder que antes de dar esse péssimo exemplo, deveria em primeiro lugar, estar focado na ordem constituída e no direito, naquilo que a lei pode fazer para o bem das pessoas, na questão de pacificação social. Na verdade, esse poder é só mais um dos grandes males incrustado no organograma administrativo do Estado Brasileiro, que com tantas desigualdades, nada tem de direito, muito menos de democrático. Fala-se nessa farra no Estado do Mato Grosso, mas isso acontece em todo Brasil. A magistratura não é melhor do que qualquer classe neste país, então por qual razão a percepção de tantos indevidos privilégios?
        No Executivo, até que nem tantos ganham além do teto salarial demarcada pela Constituição Federal, porém existe muita gente ganhando sem nada fazer e servidores para nada fazer e isto não pode continuar da forma como se encontra. Peca também o Executivo, por ser o principal canalizador da corrupção no país, não querendo dizer com isso, que esse poder foi o inventor da corrupção, mas esta está endemicamente enraizada na mentalidade de toda nossa população, entre ricos e pobres. Os ricos porque sempre querem tirar mais dos menos favorecidos e estes, se houver uma brechinha, vão sempre querer algum favorecimento, já que imaginam que o dinheiro é do povo, então o que existe de negativo, se alguma vantagem indevida se puder tirar também uma casquinha, a exemplo de uma aposentadoria ou um benefício social fraudulento, como existem muitos por aí afora. É assim a pisada de nosso Brasil. Pior são as mordomias escorchantes e desmoralizantes que fazem o contribuinte pagar, a exemplo de duas assessoras (isso é uma besteirinha na ponta do iceberg) da esposa do presidente golpista, que arrumaram dois apartamentos funcionais de graça, para as duas morar, só porque uma vai cuidar da alimentação da primeira dama e outra, da sua rouparia. Porra, enquanto o país agoniza com uma saúde péssima, uma educação de ruim qualidade, falta de assistência social e uma segurança pública no caos, como se tirar dinheiro para pagar assessores de porra nenhuma? – Sinceramente, estamos realmente no país das bananas ou das aves de rapina, que não param de se multiplicaram, mesmo depois do mensalão e da lava-jato. Isso é fichinha, porque a corrupção continua sendo praticada desavergonhadamente e à todo vapor.
     Aí vamos partir para o Legislativo, que estão querendo emplacar uma reforma política, para nós, povo imbecil, pagar o financiamento de suas campanhas! – Sinceramente, esse pessoal está falando sério mesmo? – Pior é que está e vão arrancar isso do orçamento público, mesmo num país que anuncia um rombo para o fechamento de suas contas neste ano e no ano de 2018, de cerca de 160 bilhões de reais para cada exercício financeiro. Aí a solução é mexer em direitos trabalhistas e previdenciários, para financiar esses picaretas sem-vergonhas! – Dá para acreditar nesta porra de país? – Acredito que não! – Tem que atear fogo nessa porra mesmo, a começar pelo Congresso Nacional, passando pelo Palácio do Planalto e terminando no STF, poderes insignificantes e imorais, desavergonhados neste país campeão de imoralidades escancaradas. Ora, se quisessem fazer uma reforma política séria, começariam a rever a estrutura do legislativo a todos os níveis de cada ente federativo, diminuindo seus próprios salários, o número de vagas, os tantos assessores de porra nenhuma que cada deputado tem, quer a nível federal, estadual ou municipal, isso tem que acabar! – Ou por bem ou por mal, essa porra tem que mudar! – Se eles não querem fazer as coisas dentro do figurino legal, então só resta mesmo, queimar esta porra de país e colocar esses felás das putas no “el paredon”, esta é verdade.

        Esses caras que estão à frente da administração pública de nosso país, já passaram das contas e tem que pagar de uma vez por todas pelo que fizeram e estão fazendo. Esta é uma verdade inarredável, que só não ver quem for idiota ou de certa forma estiverem mancomunados com essa corja e tirando proveito de alguma forma, caso contrário, esse nosso país, como já frisei noutras ocasiões, só tem jeito mesmo com uma revolução para colocar grande parte de corriola na guilhotina, afinal de contas, uma II Revolução Francesa até que seria bem-vinda, tem que ser processada neste país, porque de outra forma, a bandalheira vai continuar ainda bem pior do que antes. O exemplo maior vem do Judiciário, ou não?

terça-feira, 15 de agosto de 2017

ÀS VEZES NOS FAZEM ACREDITAR QUE OS BICHOS DE SETE CABEÇAS EXISTEM MESMO!


      Para quem é auto-sugestivo e que busca acreditar em tudo que dizem sobre você, com toda certeza vai chegar a conclusão de que você é o verdadeiro Satanás, o bicho de sete cabeças ou a besta-fera de que falam os religiosos. Na verdade, minha gente, todos nós somos sensíveis, só que, existem realmente uma gama de pessoas que não está nem aí para absolutamente nada. Não me incluo nesse rol, porque sou demasiadamente sensível, de tal maneira, a me preocupar com um suposto problema, mesmo antes de ele chegar a existir ou até mesmo, vir a ser fruto de futricas, de invenções e de colocarem em sua cabeça. E quando algo acontece, principalmente com os meus sempre estou junto. Se alguma vez falhei, que me perdoem!
    Ora, não suporto, já a essa altura do campeonato, a ser sugestionado ou chamado a atenção, por quem quer que seja, por supostos erros que, ou falhas que na vida a gente comete no nosso dia a dia. Isso me perturba de tal maneira, que passo a ter estresse, entro em depressão e isso me faz muito mal ao meu corpo e mente. No corpo, porque quando a gente está perturbada, a disfunção biológica se faz sentir e, de outra monta, vem o problema de ordem psicológica que mexe em todo o meu ser, trazendo-me uma série de perturbações e isso, muitos não percebem o mal que estão me fazendo, ou por omissão, comissão ou por não entender bem o espírito, a verdadeira alma da gente.
     Não sou mais criança e por isso mesmo, não estou aqui para levar puxão de orelhas de ninguém. Posso até estar errado, mas existem enes formas da gente chegar para um amigo e dizer: fulano, olha, tu fizestes isso ou àquilo em determinado lugar e não foi muito bonito para tu não, vistes! – Claro que a gente vai se chocar, mas não tanto quanto alguém se dirige a uma pessoa amiga de forma grotesca, ignorante e faltando, em muitos casos até com o respeito.
      Na minha idade, não estou mais para levar carão de ninguém, muito menos alguém vir a me faltar com o respeito. Digo que erro, mas nem por isso, aceito ser repreendido de forma vil e cruel, por quem quer que seja. A vida nos ensina muitas coisas. Às vezes a gente aprende lições, porém nem sempre esta fica incrustada na mente da gente, porque acredita que não está fazendo nada demais, a não ser o que sempre fez por toda a sua vida. Não que se deva permanecer no erro, quando a gente pratica erros reiteradamente, isto de forma alguma. É chegado um momento também, da gente criar um pouco de juízo, porque essa vida é cruel e todos estão de olho em você, embora somente no sentido de lhe prejudicar, porque para fazer o bem, é a coisa difícil de se encontrar. Tem mais, com diz o dito popular, “macaco só olha para o rabo do outro”, né mesmo camaradas!

     Mas digo uma coisa, no ocaso da vida já, não tenho muito a lucrar não senhor, a não ser o que da vida pude, em determinadas ocasiões aproveitar, ter poucos momentos de alegrias, de poucos amigos bons, de uns filhos honrados, honestos e dignos que tenho, além dos netos que já estão chegando aos montes, fora isso, o que levar para o túmulo, podem crer que é lucro! – O que posso garantir que nas minhas andanças, se não fizer o bem, que o mal jamais buscarei fazer a quem quer que seja, porque não sou o bicho de sete cabeças que muitos querem fazer crer. Sou apenas um advogado militante, pobre porque não me aproveitei de ninguém; sou um poeta que busca cantar a dor, a amor e o sofrimento da vida, e sou também, um escrevinhador de livros, que procurar transmitir, quer nos contos, nos romances, nas poesias, nas crônicas que escreve, justamente procurar transmitir um pouco de tudo que existe dentro de mim, com o olhar neste mundo objetivo cruel, covarde e insensível, em que vivemos.

sábado, 12 de agosto de 2017

AFINAL DE CONTAS, QUE PAÍS É ESTE? – SERÁ QUE A GENTE TEM QUE TRAZER MADURO DA VENEZUELA PARA ENDURECER COM ESTE PAÍS?



      Puta que o pariu, não dá para ver o que a gente está vendo, por mais que não se queira, mas não dá para acreditar que o país, depois de violentamente estuprado pelos maiores desordeiros de Brasília, continuam tripudiando, esfoliando, arrombando ainda mais o seu povo, e o pior de tudo, é o fato inusitado de que ninguém diz porra nenhuma. É realmente de lascar a gente observar tudo isso e continuar calado. Na verdade, essa sociedade de miúdos na pequenez de ações, é dominada por uma elite esnobe e parasitária, que usufrui do bom e do melhor sempre explorando o mais fraco, de uma iniciativa privada ladravaz e de um comboio em conluio de uma classe política corrupta picareta e larapia. É isso mesmo que é o nosso país. Um verdadeiro mar de lama. O povinho também, em sintonia com essa onda, se der brecha, também quer tirar vantagem de alguma forma.
     Ora gente!, derrubaram a presidente Dilma, segundo os seus algozes, de prática de crime de pedalada fiscal, que o “Zé Povinho”, sequer sabe o que isso significa até hoje, mas que o atual mandatário golpista, continua descaradamente praticando com maior intensidade ainda, essas pedalas fiscais, que não passam de adiantamento de créditos orçamentários, para justamente vir a acudir as finanças públicas para cobrir alguma despesa por falta de dinheiro no caixa da União, então é recurso financeiro e contábil, de que se vale a federação, para cobrir rombos financeiros, em que se gasta mais do que se arrecada. Agora, essa prática, não é tão-somente de responsabilidade da União, não senhor!, mas também de estados, municípios e tantas outras entidades públicas. É mais ou menos, se na iniciativa privada, uma empresa no final do mês, não tivesse dinheiro para pagamento de funcionários e fornecedores, aí se vale de um crédito bancário para cobrir suas despesas, para num próximo momento, repô-las, pagando, claro, juros e correção monetária. É isso que é a denominada pedalada fiscal. Crime? – Como isso poderá ser considerado crime? – No caso do poder público, se tirou a presidente sob esse tipo de acusação, mas agora, estão fazendo às escâncaras e de forma imoral até para comprar políticos para votar nos projetos do governo ilegítimo.
     A princípio, se dizia que o país iria fechar as suas contas com um rombo no orçamento, de cerca de 60 bilhões de reais. Um horror que jogaram na mídia e diante da população desinformada, justamente para fazer àquele movimento idiota dos coxinhas e paneleiros, e veja em que situação o país está! – Agora já falam que o rombo orçamentário, quer dizer, uma gastança além do previsto, de 180 bilhões de reais, quer dizer, três vezes mais além do previsto inicialmente para darem o golpe de estado, esta é a realidade. Tudo isso só vem a comprovar que vivemos num país de nanicos e de pessoas que não querem se informar, tampouco pretendem pensar, imaginar o que é isso ou aquilo. Então hoje estão calados, quando deveria ter aumentado o paneleiro e o número de coxinhas, afinal de contas, não era por isso que eles queriam Dilma Rousseff fora do poder! – Gente hipócrita, isso é o que vocês são!

      Com isso esse picareta que está no poder através da enganação massificada, quer empurrar todo tipo de reforma que venha a prejudicar justamente a população mais sofrida e burra, porque eles é que realmente são os inteligentes ou vivaldinos, porque manobraram e estão continuando com a mesma ladainha, para se manterem no poder e ninguém diz nada, faz nada e querem até agora, emplacar uma reforma política sem mexer na estrutura do poder, então que porra de reforma é essa, se não diminuir o excesso daquilo que está demais no poder, hein!? – Por exemplo, o escorchante número de deputados com um escandaloso número de assessores, tanto a nível federal quanto estadual, também na mesma linha, os senadores, aí vem o judiciário, entre outros entes federativos do poder, que vergonhosamente, só sangram na carne deste país e não estão nem aí. Então que porra de reforma política é esta, para não ficar em nada? – Para tudo ficar na mesma e como antes? – Até financiamento de campanhas dos corruptos com dinheiro público! – Isso é uma deslavada vergonha! – Vão criar vergonha na cara, cambada de cabras safados, corruptos e ladrões. Aqui, pelo visto, só importando uns dois Maduros da Venezuela, para ver se dar jeito de vez neste país, porque com esses sem-vergonhas que estão aí, ninguém vai chegar a lugar nenhum, a não ser, com essas caricatas reformas, só estão prejudicando o povo e querendo ainda mais poder para eles mesmos.

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

190 ANOS DE CURSOS JURÍDICOS NO BRASIL, O QUE MUDOU EM TERMOS DE JUSTIÇA?



        A introdução dos Cursos Jurídicos no Brasil, foi obra da Assembléia Geral, quando D. Pedro I, no Século XIX, sancionou a Carta de Lei de 11 de agosto de 1827, diploma criado de duas Faculdades ou dois cursos jurídicos, um em São Paulo e o outro em Olinda, sendo Ministro referendatário da dita lei José Feliciano Fernandes Pindeiro, Visconde de São Leopoldo. Ambas as academias cresceram, agigantaram-se, dominaram a inteligência brasileira.

Fundada no século XIX, por obra da Assembléia Geral, quando D. Pedro I  sancionou a Carta de Lei de 11 de agosto de 1827, diploma criador de duas Faculdades ou dois cursos jurídicos, um em São Paulo e outro em Olinda. O curso jurídico de São Paulo, foi instalado no Convento de São Francisco, daquela cidade, no dia 1º de março de 1828 e, o curso jurídico então fundado em Olinda, instalou-se solenemente em 15 de maio de 1828, no poético Mosteiro de São Bento de Olinda, na beleza de suas colinas e no entremeio dos leques viridentes dos coqueiros. As aulas abriram-se em 2 de junho, matriculando-se 41 estudantes, tendo então o Doutor Leopoldo José Ribeiro proferido a aula inaugural.Em 1854 é transferido para o Recife, em um pardieiro da Rua do Hospício, tendo ao seu lado o curso anexo e a biblioteca, somente em 1911 passando para o reluzente e rico palacete onde hoje tem a sua sede. (“História da Faculdade de Direito do Recife”, Luiz Pinto Ferreira, Editora Universitária, 1980, Tomo I, pág. 17 e 18).

        Como se pode perceber no breve histórico do professor Pinto Ferreira, um dos maiores constitucionalistas brasileiros, há 190 os cursos jurídicos foram introduzidos no Brasil. Era um curso na época, completamente voltado para uma minúscula parte da elite dominante, mas produziu grandes inteligências para o Brasil e que, alguns deles, que abraçaram a causa com grandeza e destemor, deram grandes contribuições ao mundo jurídico brasileiro, como demonstram os anais de nossa história.
        Hoje, 11 de agosto, dia comemorativo à introdução desses cursos no Brasil, não há muito do que se comemorar, porque o que sai das faculdades, são advogados medíocres, em sua maioria, que não tem a menor noção do que seja o verdadeiro Direito, tampouco o ideal de Justiça, isso por que, não visam nenhuma coisa, nem outra e por isso mesmo, não há muito do que se comemorar.
        Durante todo esse período, claro, se formaram bons advogados e muitos, que seguiram o caminho da magistratura se encastelaram nas suas redomas de “deuses do Olimpo” e fizeram o que bem quiseram e bem entenderam, a pretexto de se fazer justiça, quando na realidade, se fizermos uma retrospectiva histórica, iremos perceber que esses “deuses”, praticaram na realidade muitas injustiças, principalmente contra, embora repetitivo, negros, pobres e prostitutas. Na atualidade, não é muito diferente não senhor, para quem vem a ocupar uma dessas funções, porque além de não praticarem e aplicarem a lei no sentido de se fazer a verdadeira justiça, pior ainda, é que se corrompem, se transformam em ladravazes de almas, de bens materiais e esquecem que se preparam para ser fiéis aplicadores da lei, para justamente, manter o equilíbrio social. É até impossível, ao ponto em que se chegou, se aplicar o direito na letra fria da lei, de o tamanho em que a população chegou em nosso país e no mundo. Tudo na realidade se agigantou e se atrofiou. Então vivemos numa realidade, que é impossível se chegar a um ponto de equilíbrio da balança da justiça, chegando-se ao ponto de o que se aplica, não passa mesmo, de arremedos de justiça, esta é a realidade.

        Com a multiplicação de cursos jurídicos de forma desenfreada, vemos sair das faculdades, pessoas sem a devida formação moral e intelectual para ser um bom profissional do direito, gerando aí, gente desqualificada para o regular exercício da profissão, praticando na maioria dos casos, condutas não condizentes com o Estatuto da EOAB e quebrando o Código de Ética profissional. Quer dizer, nem os próprios colegas,.estão respeitando o trabalho de outro colega que milita no mesmo ramo profissional, além de profissionais que sequer não estão nem aí para o compromisso que devem ter para com os seus constituintes, gerando cada vez mais, desconfiança na conduta profissional de muitos de nossos colegas, o que nos deixa cada vez mais sem a devida moral e credibilidade perante à sociedade, coisa que não existia logo no início da implantação dos cursos jurídicos no Brasil, até um certo tempo depois. Hoje somos o reflexo de tudo isso que somos e o Direito, para muitos, só serve mesmo de meio manipulador para se aplicar a lei por caminhos ilegais e tortuosos, até mesmo pela nossa magistratura, em que muitos, ao se sentirem verdadeiros deuses, não tem o menor respeito nem pelo advogado, pelo povo ou por qualquer um que seja. Essa é a nossa devastada e escancarada Justiça em nosso país, então pela lógica, não há o que comemorar nesses 190 anos de implantação dos cursos jurídicos no Brasil, por D. Pedro I.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

SERÁ QUE É CHEGADO UM TEMPO DA GENTE TER QUE PARAR E DEIXAR DE FAZER QUASE TUDO NA VIDA?


       Para nós que estamos chegando ao ocaso da vida, a indagação pode soar estranha, porque a bem da verdade, ninguém quer parar ou deixar de fazer tudo que sempre quis ou desejou na vida, sobretudo determinadas extravagâncias, de certa forma, até exageradas para quem viveu toda uma vida e não o fez quando podia, se bem que, extrapolar na vida, a qualquer que seja o tempo, nunca soa muito bem ao corpo, ao organismo e à saúde, mas nessa condição de seres humanos, nunca acreditamos que estamos extravasando, mas sim, fazendo o que queremos e o que podemos fazer.
    Como esta nossa vida é limitativa a um determinado lapso temporal, isso no seu curso normal, nem tudo que queremos podemos fazer, porque na verdade, apesar de sabermos que um dia vai se apagar a luz da vida por completo, ainda assim, ninguém quer que a vela seja apagada, mas inexoravelmente, é algo que não depende de nenhum ser humano, por mais que tenha estudado ou por mais “deus” que venha a se sentir. O certo é que a luz de cada um de nós vai mesmo se apagar de vez. Por essa razão, de uma vida curta e por tempo limitado, isso quando o sujeito não emplaca inesperadamente, como num lampejo de milésimos de segundos e pronto, se foi!, ou então, quando nem ao menos vive, conhece a vida, pisa no solo, aprende o que tem que ser, vai assim, sem mais nem menos, aí sim, é que é por demais doloroso.
      De uma coisa podem tem certeza, ninguém escapa e, na medida que o tempo vai adentrando em sua linha, a gente obrigatoriamente, quer queira ou não, vai encurtando esse espaço e o que não dá para entender, é o fato de que, não se sabe se a gente perde mais um dia de vida ou ganha! – Será que ganha, já que está se aproximando cada vez mais do ponto limiar? – Será que se perde, em que também se aproxima no mesmo ponto? – Não dá para responder. O certo é que, muitas mazelas vão aparecendo e, fazendo ou não fazendo determinados hábitos que aprendemos a praticar no decurso deste curto lapso temporal de vida, a única certeza é que a qualquer momento qualquer um de nós pode apagar de vez e aí, exagero pelos maus hábitos adquiridos? – Será que é isso, ou o sujeito bem comportadinho, praticando tudo como manda o figurino, não vem a ter um infarto, um AVC ou um aneurisma cerebral e da mesma forma, vir a parar tudo de vez? – Bem, pelo sim, pelo não, pode ser que sim e da mesma forma, pode ser que não. O certo é o fato de que, se a vela apagar de vez, tudo na verdade se acabou!

          A luz da vida se apagando, para quem muito fez ou deixou de fazer, se torna na mesma coisa. Pode ser grande, preto, branco, pobre, rico, vaidoso, cuidadoso, que da mesma forma vai, não tem quem escape. Esta, camaradas, é a execrável realidade da vida, que ninguém aceita e por mais que se faça para prolongar, mesmo que ande dentro de determinado padrão de figurino de vida, o certo é que nessa hora de “a vela apagou”, pronto, já era! – Nada mais há que chorar o leite derramado, porque ele não retorna mais para a vida e pode se preparar para ser devorado por vermes rastejantes e bilhões de bactérias fétidas e pronto e isso que é a vida e de tudo isso, só sobra mesmo o pó, de onde viemos. Para onde iremos!? – O mistério de tudo isso, se servir de consolo que vamos para o Céu, tudo bem e se não formos mais a parte alguma?

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

SE A GENTE PUDESSE VIVER NOSSA VIDA NOVAMENTE, COMO SERIA QUE IRÍAMOS FAZER?


        Bem, emprestado pelo velho amigo cordelista e escritor, Paulo Tarciso, comecei ontem a ler um livro com um título chamativo e interessante: “SE EU PUDESSE VIVER MINHA VIDA NOVAMENTE...” – Acredito, que à primeira vista, toca em profundidade na pessoa que gosta e é afeito à leitura, a exemplo de minha pessoa. Achei curioso o título, de autoria de Rubem Alves.
        À primeira vista, a gente começa a fazer ilações em nossa mente e colocar em nosso imaginário, o que se faria se a gente pudesse, a essa altura do campeonato, volver o tempo e reviver tudo novamente, como é que faria? – Será que a gente repetiria tudo de novo? – Faria a mesma coisa? – Seria o mesmo babaca ou vivaldino que imaginou ser? – Seria um crente fervoroso e seguidor dos mandatos do Livro Sagrado?, ou talvez buscasse fazer tudo diferentemente daquilo que você buscou demonstrar em sua personalidade comportamental de ser, hein? – Será que você faria de tudo aquilo que imaginou fazer e nunca teve coragem de fazer? – Você repaginaria a sua vida? – Acredito piamente que sim, porque na verdade, ninguém vive satisfeito com a vida que tem e, de certa forma, gostaria em muito de dar um novo rumo a esta. Não teria sido, em muitos casos, o conformista que sou.
        Ah, talvez não chegasse, por outro lado, a mudar muita coisa! – Primeiramente, tendo nascido nas condições que vivi, acredito que não mudaria muita coisa para percorrer a trajetória sofrida de vida diferente, mas com certeza, iria buscar, tendo consciência do que foi minha vida até o presente momento, muita coisa iria buscar corrigir. Primeiramente, não seria o menino besta que fui; teria sido diferente e mais hábil para lidar com determinadas situações vividas; valentão não queria ser, mas no mínimo, teria pego em armas para enfrentar a ditadura militar; teria me dedicado mais aos estudos, apesar das dificuldades do estado de pobreza em que minha família vivia; também minha ida ao estado de São Paulo, teria sido diferente e buscaria dar uma surra em dois japonesinhos de Ribeirão Pires, que nos acuaram quando eu e Milvernes, voltávamos da escola primária, para a nossa rude casebre naquelas plagas; teria lido mais grandes obras mundiais; na jovem guarda, não teria sido tão babaca e teria pego as neguinhas do pedaço e buscaria ter sido o líder do meu grupo, se bem que, na escola, por tirar as melhores notas, sempre era assediado, mas não seria tão besta com àquelas doces meninas, como fui, porque elas só queria fila e eu não exigia nada em troca. No mínimo buscaria comer uma porção delas, mas agora é tarde. Não sei nem se elas ainda existem. Ah, se pudesse viver minha vida novamente, com certeza, se tivesse feito o curso de direito, teria me preparado não para ser um advogado ambulante, mas sim, um desembargador ou até quiçá, um ministro do STF! – Talvez nem Direito tivesse feito, mas sim, medicina, porque o sujeito já sai formado em Deus, ou talvez não quisesse ser um Deus, porque a ninguém é dado o direito de o Ser, mas apenas um bom médico para servir a nossa população mais humilde, mas é um curso em que ainda o sujeito tem mais facilidade de enriquecer. Como advogado não cheguei a tanto; não sou rico, mas pelo menos, aprendi a exercer a profissão com zelo, ética e dignidade, que não são sinônimos de riqueza, mas deveria ter sido mais zeloso em ter tido o cuidado de pegar grandes causas, apesar de não ter vindo de uma família tradicional de advogados, mas mesmo assim, acredito ter dado conta do meu recado. Muitas coisas não teria feito ou quem sabe, teria aproveitado mais, porque o que me resta hoje, é uma doença sem volta.

        É com certeza, se fosse me dado a chance de viver novamente, com certeza mudaria muita coisa e teria me preparado desde cedo, quem sabe, pegando gosto pela política, me preparado para fazer uma carreira política como todos esses corruptos fazem, não simplesmente como um reles vereador, mas iniciando como prefeito de minha terra, e chegando, quem sabe, até ser o presidente da república. Se pudesse reviver a minha vida novamente, acreditem, tudo seria diferente! – Talvez não desse jeito, mas embora goste de minha vida, claro que muitas coisas pontuais, iria certamente mudar tudo, para que outro rumo ela tivesse, mas como isso é impossível de acontecer, então que me contente com esta vida que tenho, que já é o bastante e suficiente e mudar, a partir do momento em que estou, mudar o que pode ser mudado, aceitar o que nada pode ser mudado e ser isso que realmente sou, porque sou isso mesmo e não ser diferente e isso, não posso mais mudar, a não ser, que “tenha uma chance de viver a minha vida novamente...”

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

DEPOIS DO DIA DO SIM, NINGUÉM VIU ATÉ AGORA, NENHUM COMENTÁRIO OU POSTAGENS NAS REDES SOCIAIS DE APOIO AO QUE OS DEPUTADOS FEDERAIS FIZERAM.


        Desde tenra idade, que tenho o meu posicionamento político. Na ditadura militar, apesar do patrulhamento ideológico, da censura à liberdade de expressão, jamais deixei de emitir minha opinião, apesar dos perigos que isso representava, mesmo assim, tinha que seguir os meus preceitos éticos que subsumi desde então e agora, já passado da meia idade, embora a política não mais seja o sonho de minha vida, porque o que se faz hoje não é política no sentido lado da palavra, mas sim, pura vagabundagem e estelionato político e eleitoral. Não estou aqui nominando quem quer que seja, mas reparem nas entrelinhas da prática política, que é desse jeito a política, acredito, desde moldes que vem bem mesmo de antes deste escriba ter nascido, porque infelizmente a gente foi colonizado por degredados portugueses, então não se poderia esperar outra coisa para o Brasil.
        Mas saindo um pouco da introdução, o que se viu há um ano, do golpe anunciado da presidente Dilma Rousseff e, o que se viu neste último dia 02, foi praticamente a mesma coisa, só que, no sentido inverso. Com Dilma, a ordem era apeá-la do poder custasse o que custasse, porém Dilma, não fez o que praticou esse golpista que está assentado ilegitimamente no lugar que jamais seria dele, não fosse a conspiração antecipada e o golpe. Dilma, comprovadamente não cometeu crime e a tiraram impiedosamente do poder, porém no caso do seu sucessor, o coisa não foi bem assim, porque existem fortes indícios, quer dizer, indícios não!, porque o que ele fez todo mundo, o Brasil inteiro e o mundo, chegou a tomar conhecimento e manter o seu mandato, a pretextos amarelos de quem votou pelo arquivamento da continuidade das investigações pelo STF, no meu entender, o fez porque algum benefício de alguma forma, com toda certeza recebeu, embora o país esteja afundando num mar de lama, cada vez mais profundo, mesmo assim, como a maioria dos políticos, não está nem aí para o país, o povo que se vire, porque a ordem era vencer mais uma vez com o seu rolo compressor, à troco de apenas pouco mais de ano para o término de seu mandato. O que se gastou nessa odisséia, dá para se acreditar que não existe contador hábil para fazer a conta, porque fluíram bilhões dos cofres públicos, num país que dizem está quebrado e de que, vai fechar suas contas deste ano, com um déficit milionário de mais de 140 bilhões de reais. Então gente, que país é este, afinal de contas?
         O que todos têm observado, porque acredito, ninguém é cego ou doido, é o fato de que até agora, ninguém ouviu dizer, nem à boca pequena, tampouco nas redes sociais, ou até na potentosa Globo que ajudou a derrubar Dilma e colocar Temmer no poder, está falando bem de como as coisas aconteceram; ninguém de sã consciência até o presente momento aprovou nenhum dos deputados que votaram SIM pelo arquivamento da denúncia da Procuradoria Geral da República, para se ver o presidente golpista processado pelo STF. A questão é o fato, que o descaramento na política, venceu a ética, se é que esta algum dia chegou a existir, porque apesar de um dia ter acreditado no princípio da boa política, hoje já não acredito mais, porém, até quando forças tiver, vou continuar cutucando na política e sempre condenando essa mania da má política que é adotada pela maioria absoluta dos políticos que estão no poder, seja em qual esfera venha a ser.

        Ora, o povo tem memória curta, mas acredito, como temos eleições ano que vem, muitos políticos poderão ser diretamente cobrados pela suas bases, para se explicarem polo voto SIM dado para manter Temmer continuar no poder e não se vê investigado, porque um sujeito que está acabando com direitos dos mais humildes, só não percebem se não quiserem, porque direitos estão sendo tirados e vão ainda amargar o fel ainda mais com o que vem por aí, como as mudanças que vão fazer o povo engolir da previdência social, o congelamento de investimento por vinte anos que já se faz sentir nos programas sociais, a saúde pública e educação, se já eram de ruim qualidade, estão piorando, entre tantas outras maldades que no frigir dos ovos, quem vai pagar é o povo mais sofrido, isso porque, a elite dominante não quer saber de povo, tem nojo de povo e só quer mesmo, ver o povo na sarjeta e cada um deles enriquecendo, jantando em Paris, Nova Iorque e fazendo tour milionários pela Europa, enquanto esse “Zé Povinho”, que imaginam nada valer, mas apenas o seu voto, acredito que para o ano, só não dará o troco a esse pessoal, se não tiver vergonha na cara e gostar de levar fumo na bunda limpa, esta é verdade nua e crua, doa em quem doer.