QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

segunda-feira, 21 de julho de 2014

COMO SURGIU O SOM BLÉSS SET, MUDOU PARA CASCA DE ROMÃ E TERMINOU POR SE EXTINGUIR DE VEZ, MAS AS LEMBRANÇAS NUNCA MORRERAM, FICARAM EM NOSSA MEMÓRIA PARA SEMPRE


    Para os jovens de Buíque e da região, que não sabem da origem do conjunto musical de forró, Casca de Romã, vale aqui à pena, fazer algumas ligeiras digressões do passando não muito distante, e demonstrar um flash dessa história musical especialmente de nossa terra e que se propagou por toda região e em demais lugares de outros estados brasileiros. Praticamente a história começa a partir de um reclamo dos jovens buiquenses da década de 70, da falta de diversão, lazer e alguma coisa que alegrasse o povo que fosse genuinamente da nossa terra e cobravam isso aos políticos ocasionais da época. Então foi uma das promessas de campanha de Blésman Modesto, quando eleito em 1976, pela segunda vez, em adquirir equipamentos para montagem de uma banda musical e construir um Clube Municipal, para diversão e lazer da juventude buiquense. Foi a partir daí que dessa promessa, veio a ser criada uma banda musical de Buíque e também a ser realizada a construção do Clube Municipal em um molde avançado para aqueles tempos, já que os bailes em nossa cidade eram realizados no Mercado Público, na Escola Duque de Caxias ou mesmo dentro das dependências da Prefeitura Municipal, naquele pequeno espaço logo na entrada da prefeitura e isso, não era o suficiente para satisfação da nossa juventude, que reclamava dos poderes públicos algum meio decente para os seus lazeres e diversões. Originalmente, em primeiro lugar, a banda recebeu o nome de THE JET SET, formada por alguns dos nossos jovens, que não lembro o nome de todos eles no momento, que eram Felinho de Antonio Cabrinha, que tocava guitarra, não sei se baixo ou contrabaixo, Mutuca que tocava instrumento metálico, Carrinho, ainda criança, na bateria, entre outros, mas comandada por Emanuel Wavell Modesto, que era irmão do prefeito eleito, Blésman Modesto. Só sei que a principiante banda era formada por sete pessoas, daí o nome num inglês meio esfarrapado, só que, era de início desafinadíssima, mesmo assim, era a coqueluche do momento e os bailes que então se realizavam, eram casa cheia na certa, afinal de contas, tínhamos finalmente uma banda musical. Depois de algum tempo, por desentendimentos entre os seus membros, a banda saiu das mãos do poder público municipal e passou finalmente, para as mãos de Mané da Jéga (Emanuel Modesto), passando então a ser chamada de SOM BLÉSS SET, tendo saído alguns músicos, Manoel contratou novos músicos daqui mesmo e de fora, alguns cantores e cantoras que se revezavam na banda, que ainda chegou a gravar em primeiro lugar um compacto, depois um compacto duplo e mais à frente, uma média de cerca de três à quatro elepês. Era realmente um sucesso na região, por ter se aperfeiçoado com novos equipamentos, que sempre foram adquiridos por Mané da Jéga, sem contar que ele mesmo era o astro e cantor principal da banda. Houve uma época, que ele até se achava parecido com Paulo Ricardo, líder da Banda RPM, como se fora uma espécie de cover.
    Era fã de carteirinha do Som Bléss Set, que tocava o gênero musical de gosto do momento e volvia aos anos dourados da década de 70, além das músicas que eles mesmos criaram e gravaram em compactos simples, duplo e em elepês. Foi realmente um sucesso da época que ultrapassou as nossas fronteiras, chegou a tocar noutros estados, a exemplo de Alagoas, Rio Grande do Norte, entre outros. Essa banda deixou na mente de muita gente a sua  marca registrada, em muitos jovens de minha época e que nos fazia se sentir orgulhosos, afinal de contas, como era possível Buíque ter uma banda musical do naipe do que foi o SOM BLÉSS SET, hem? - Como amigo pessoal de meu primo Mané da Jéga, como popularmente é conhecido, mesmo tendo morado em Pesqueira, quando a banda ia tocar em qualquer parte da região, nunca deixava de ir aos bailes por ela abrilhantados, inclusive tocava com grandes atrações musicais da época. Por muitas vezes chegou a tocar em Pesqueira, onde morei e em Alagoinha, Sanharó, onde em ambas cidades, trabalhei no Bandepe, tendo tocado também em bailes ocorridos no Clube tradicional de Belo Jardim, onde deles sempre estive presente, como nos demais. Não perdia uma festa do conjunto na região. Era como se a gente entrasse no túnel do tempo para relembrar os anos vividos no passado de nossa jovialidade que já estava se tornando mais amadurecida. Em Buíque mesmo, não perdi os shows da banda com os cantores Wanderley Cardoso, com Renato e Seus Blue Caps, The Fivers, entre outros e com a cantora Diana, cujo vídeo colocado no face nesses últimos dias, me fez lembrar de todo àquela passado vivido. Foi como volver o tempo e vivenciar àquele baile alegre, que hoje se vê distante no momento presente. Era realmente de uma alegria extasiante e a gente que gostava da farra, virava noite à dentro tomando todas e ainda amanhecíamos terminando pela saideira, pois era motivo de alegria e de emoção em demasia, estar vivendo aqueles lindos e belos momentos de minha vida. No momento, por falha de minha memória, só lembro dessas estrelas da música brasileira, com quem o SOM BLÉSS SET se fez acompanhar. Lembro também de Paulo Diniz, que é filho de Pesqueira, quando numa ocasião por lá tocou, isso já no final da década de oitenta e eu estava lá presente, como bom soldado de carteirinha da banda e como amigo especial, de meu primo Mané da Jéga. Era uma honra para mim, dizer para os colegas, que àquela banda era de minha terra, Buíque. Dizia isso onde quer que estivesse, de peito estufado e com muito orgulho, pois era uma forma de divulgar e falar das nossas coisas, de nossos valores e da nossa gente, o que hoje não se vê mais. Na verdade, acredito, que se o SOM BLÉS SET, tivesse se mantido, ainda hoje estaria abrilhantando boas festas que fazem à gente volver ao passado, a exemplo do conjunto musical Túnel do Tempo, entre outras bandas que são exímias xerocópias de um tempo que mesmo do passado, nos faz a ele voltar como se fôramos ainda jovens da mesma época. Seria interessante, que Mané da Jéga, recriasse o SOM BLÉSS SET, pelo menos por uma só vez, e ele mesmo, como a estrela da Banda, personificado na pessoa de Paulo Ricardo e cantando "Olhar 43", maior sucesso da banda RPM, entre músicas de Renato e Seus Blue Caps, The Fivers, Os Goldens Boys, Os Incríveis, entre outras músicas importantes da época, além de Dire Straits, Johnny River, Rita Pavone, entre outros grandes nomes internacionais, que Mané fingia cantava num inglês, francês ou italiano, que ele sequer sabia o que estava balbuciando, mas a coisa saia nos eixos e aquilo tudo, me enebriava de êxtase e de alegria. Era realmente tempos bons àqueles em que vivi com o SOM BLÉSS SET, pena que essa banda veio a ser extinta, por alguma razão ou justificativa que se precisava mudar e criar algo novo e atual, como se cada um de nós que viveu àqueles tempos, tenha esquecido o passado vivido.
      Foi aí então, que a banda se deu por terminada, se equipou com nova roupagem e se criou depois da década de noventa, a chamada CASCA DE ROMÃ, que apesar de ter gravado uma série de CD's, mesmo assim, nunca chegou a se igualar aos elepês gravados pela sua antecessora SOM BLÉSS SET. A Casca de Romã, teve muito investimento por parte de Mané da Jéga, promessa de integração com bandas de Fortaleza em plena febre do forró eletrizado, que pelo visto, está com os seus dias contados, mas não teve jeito de decolar. Não há dúvidas que ainda fez algum sucesso e sempre teve casa cheia por onde passou, mas o sucesso que se queria atingir, infelizmente não veio, o nome não pegou e, por alguma razão de já está na estrada por mais de trinta nos, Emanuel Modesto, veio enfim, a vender o nome a outra pessoa e daí para a frente, a banda não deu em outra, se extinguiu de vez e assim, se acabou todo o sonho musical buiquense, originado numa pequena banda desafinada, levada à grosso modo por jovens ainda crianças, o The Jet Set, que depois passou a ser SOM BLÉSS SET e, por último, CASCA DE ROMÃ. Buíque sempre teve bons músicos, inclusive, na época do saudoso Antonio Sampaio, que tinha uma banda musical de instrumentos metálicos e de percussão, ensinou muita gente de nossa terra a aprender a tocar música, inclusive a estudar e entender partituras musicais, coisa de difícil entendimento para quem quer aprender música, mesmo assim, nossa terra produziu bons e grande músicos, a exemplo de Paulinho de Clóvis, Mutuca, Exdrinha, irmão de Mutuca, entre outros que não me veem à memória neste exato momento. Depois, conversando com quem mais tem mais conhecimento de perto desses movimentos, escreverei mais sobre o assunto, que graças ao vídeo do baile abrilhantado pelo SOM BLÉSS SET e como atração principal a cantora Diana, ex-esposa de Odair José, foi que me veio à tona e então resolvi escrever esta matéria, que com certeza vai tocar no coração de muita gente que viveu àqueles anos dourados que não serão jamais esquecidos enquanto vida tivermos, né mesmo minha gente! - Pena que nossa cidade, esteja completamente alienada no momento, em termos de aprendizado musical, que se tivesse uma escola de música pública, com certeza, iriam ainda despertar o talento de muitos de nossos jovens e dar-lhes uma oportunidade de ouro para que venham a tocar as suas vidas.

4 comentários:

Rilke Vieira disse...

PARABÉNS PELA INICIATIVA DE NOS CONTAR UM POUCO DA HISTÓRIA DE NOSSA CIDADE. E PARABÉNS TAMBÉM PELA COMPETÊNCIA IMPAR DE ESCREVER DA FORMA ATRATIVA E COERENTE QUE ASSIM O FAZ.

Biomedicina disse...

Olá, Manoel, fui um dos baixistas do Som Bless Set e adorava aquela época. Musicas boas, gente muito boa, Manoel e toda a sua família eram, e são, pessoas de uma amizade profunda. Eu toca e cantava minhas musicas preferidas que eram as musicas de Dalton, Jessé, Biafra, Raul Seixas, Julio Iglesias, Stevie Wonder e outros no meu timbre de voz. Bons tempos mas que ficaram para sempre na milha lembrança, Manoel, Zau! Aílson, Marcos, eu e o pessoal de base éramos muito unidos. Lembro que, às vezes, tomava uns porres em Buique e a mãe do Manoel é que cuidava de mim para não ter que ir para Arcoverde "daquele" jeito. Kkkkkk. Muitas saudades.
Belo registro você está fazendo por Buique, parabéns.

Srt. Cherry disse...

Boa noite! Fiquei muito felizz em ler a historia dessa banda, apesar de não ter acompanhado a primeira versão, acompanhei já perto de acabar CASCA DE ROMÃ,mas o meu pai CICERO CASSALEIRO foi baterista dA BANDA SOM BLESS SET, GOSTAVA TBM DE BICO DOCE, QUE TBM CEGOU A CANTAR EM CASCA DE ROMÃ, MINHA MUSICA FAVORITA ( SOL DO ORIENTE)

Anderson silva Esindola disse...

Bons tempos de casca d romã..
Desde de o primeiro CD,decidir ser músico,assistindo os vários shows daquela maravilhosa banda..
Carlinhos,naldo,itamar,Manuel modesto,ceica,manuelzinho,toinho axe,fabiano,bico doce,Jean, dentre outros grandes músicos e integrantes...saudades de tudo e todos...