QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O MUNDO REAL DAS COISAS, É DIFERENTE DO MUNDO FICTÍCIO QUE SE IMAGINA

O RECADO QUE VEM DAS URNAS

        O recado que vem das urnas, reflete o sentimento do povo, traduzido na vontade popular. Não necessariamente nessa ordem, mas que, ganhando ou se perdendo uma eleição, o momento é de reflexão e de se pensar que rumo se deve dar aos componentes políticos que se tem em mãos. De qualquer forma, quer queira quer não, a realidade palpável, é o que as urnas traduzem através do voto do eleitor. Se consciente ou não, a questão é o que das urnas saiu como resultado posto nas mãos dos políticos para que procure se corrigir erros, distorções e dar um novo impulso em tudo aquilo que vem procurando fazer em favor da população que está representando. Perder não é feio. O feio mesmo é perder e não ter a devida humildade de reconhecer a realidade dos fatos e de que, algum rumo diferente deve ser dado no que vem se fazendo na condução política em determinado momento, para que, no futuro, posse vir a se recompor e se reconciliar com o seu povo. É assim a política: dura, cruel, objetiva e onde o político não pode deixar de se curvar diante do resultado, do recado que foi dado pelas urnas. As urnas, no final das contas, é o voz do povo.

UMA GERAL DO RESULTADO DA REGIÃO

BUÍQUE - A situação de Buíque, dos candidatos a deputados estaduais e federais, dos mais votados, é a seguinte:

I) - DEPUTADOS ESTADUAIS: o 1º colocado, que foi uma surpresa, ficou por conta de Júlio Cavalcanti, que atingiu a marca dos 4.906 votos, apoiado pelo grupo de Miriam Briano, vereadores, Daidson, Rose, Félix Mago, Dr. Dilson Santos, Anísio, entre outros; em 2º lugar, também de forma surpreendente, ficou Marcantônio Dourado, com a marca de 4.411 votos, apoiado isoladamente por Arquimdes Valença, que se pensava politicamente acabado; em 3º colocado, ficou Claudiano Martins Filho, com 4.353, com o apoio do prefeito Jonas  Camêlo Neto; o 4º lugar, assustadoramente, pois ninguém imaginava, ficou por conta de Ângelo Ferreira, com 1.136 votos, apoiado por Vandelson dos Correios, Dr. Vanaldo, Dr. Alex Costa, entre outros; o 5º colocado, coube a Henrique Queiroz, que obteve 711 votos, com o apoio do herdeiro político de Til, Ernani Neto; o 6º lugar, com 396, ficou com Aglainson Júnio, apoiado por Blésman Modesto e, o 7º, por um nome pouco trabalhado, Oscar Paes Barreto, com 296, apoiado pelo ex-candidato a vereador, Abel do PT. 

II) - DEPUTADOS FEDERAIS, é a seguinte: o 1º colocado, ficou por conta de Jorge da Côrte Real, com 7.574 votos, com o apoio de todo o arco da oposição; em 2º lugar, Sérgio Guerra, com 4.438 votos, com o apoio do prefeito Jonas Neto; o 3º lugar, ficou com Ana Arraes, que obteve 1.865,  que contou com o apoio do mesmo grupo de apoio do candidato Ângelo Ferreira, mas teve um agregado por gravidade, em face de ser mãe do governador reeleito, Eduardo Campos; o 4º lugar, ficou por conta de Inocêncio Oliveira, com 665 votos, com o apoio de Blésman Modesto e o 5º  colocado, ficou por conta de Roberto Teixeira, com 538 votos, com o apoio isolado de Ernani Neto. 

Bem, foi este o resultado dos principais candidatos a deputados estaduais e federais mais votados no município de Buíque.

SENADORES VOTADOS EM BUÍQUE - Com essa conversa de eleger os dois, no geral, Armando terminou por passar a perna em Humberto Costa, inclusive, aqui em Buíque, cuja votação se apresentou da setguinte forma: 1º lugar, Armando Monteiro, com 17.084 votos; 2º, Humberto Costa, com 17.064 votos; 3º colocado, Marco Maciel, com 1.350 votos; 4º colocado, Raul Jungman, com 258 e, o 5º lugar, com 108 votos, ficou por conta de René Patriota, do PV.


OS MAJORITÁRIOS DE TUPANATINGA
Os resultados de Tupantinga, se apresentaram da seguinte forma:

I) - ESTADUAIS - 1º colocado, Isaltino Nascimento, com 4.198, apoiado por Mané Tomé; o 2º colocado, ficou por conta de Claudiano Martins Filho, com 2.073 votos, apoiado por Duca; em 3º lugar, ficou Henrique Queiroz, com o apoio de Mané Roque e, em 4º lugar, Júlio Cavalcanti, com 112 votos espontâneos.

II) - FEDERAIS - 1º colocado com 4.526 votos, ficou para Marício Rands, com o apoio do prefeito Mané Tomé; o 2º lugar, ficou com Eduardo da Fonte, com 1.833 votos; em 4º colocado, Ana Arraes, com 1.312, com o voto espontâneo e, em 4º lugar, com 237, Inocêncio Oliveira, com o apoio do ex-prefeito Duca.

Em Tupanatinga, os majoritários ainda foram os do prefeito Mané Tomé, que apesar de ter rompido com Mané Roque, que se imaginava superar os candidatos oficiais, ficou demonstrado que a divisão não contribui muito em termos de aglutinar votos para ex-aliados, mesmo assim, Mané Tomé mostrou a sua força política diante do que se pensava imbatível Mané Roque.

OS ELEITOS COM VOTOS EM BUÍQUE 

I) - ESTADUAIS - Ângelo Ferreira, com 56.267, 9º colocado no estado; Henrique Queiroz, com 53.012, 11º colocado no estado; Aglainson Júnior, com 52.616, 14º colocado no estado; Claudiano Filho, com 52.087, 17º colocado no estado; Júlio Cavalcanti, com 41.810 votos, 28º colocado no estado e, Marcantônio Dourado, com 36.090 votos no estado, em 37º colocado.

II) - FEDERAIS - Ana Arraes, obteve 387.581, ficou no 1º lugar no estado; Inocêncio Oliveira, com 198.407, foi o 4º colocado; Sérgio Guerra, com 167.117, em 6º lugar, Jorge Côrte Real, com 60.643, ficou em 21º colocado e, Roberto Teixeira, com 55.450, ficou em 23º colocado. Bem, se acaso não houver alguma acomodação na questão de deslocamento de votos em função do quociente eleitoral, a posição divulgada pelo TRE-PE, até o presente momento é esta. Se houve alguma variação ou modificação, será devidamente informada.


ABSTENÇÃO - A abstenção beirando à casa dos 30% em Buíque, foi uma das mais altas das últimas eleições, o que vem a demonstrar o pouco valor que o eleitor está dando a eleição. Outro fator também, pode ter sido a questão da exigência para votar de um documento oficial com foto, o que a maioria do eleitorado jovem não, isto porque, primeiro, por interesse do político, se providencia primeiro o título, que pode ser tirado com somente a certidão de nascimento, então, o que pode se justificar essa abstenção, pode também ter sido justamente o eleitor jovem de posse somente do título e da certidão de nascimento, sem um documento com foto. A decisão equivocada do STF de última hora, pode ter contribuído para isso.


OS CAMPEÕES DE VOTO - Apesar de muitos contestações, divergências de opiniões ou qualquer que venha a ser a justificativa, o interessante é que o palhaço Tiriria foi eleito com a maior votação do País, com 1.353.820 votos. Protesto do povo, em face dos políticos maus-caráteres? - Voto de gozação traduzido através do voto popular do povo? - Nada disso, a questão é que o povo está cansado dos políticos picaretas tradicionais e por mais que tentaram barrar a candidatura dele, não conseguiram e só fizeram contribuir para que o povo votasse com vontade dobrado no palhaço. Talvez até como um protesto contra a corrupção, contra os políticos picaretas, contra as injustiças sociais e contra aos juízes, promotores de  justiça e autoridades de um modo geral que vive pensando que são deuses e abusam de suas autoridades contra o povo. Portanto, a vitória de Tiririca pode traduzir tudo isso e, a sua candidatura e vitória, é legítima, nada havendo a ser contestado. Afinal de contas, é a voz do povo.


NÃO SE ELEGIA MAIS AQUI, PARTIU PARA SÃO PAULO - Roberto Freire, como não mais tinha condições de se eleger em Pernambuco, partiu para São Paulo e lá, com o apoio de Kassab, conseguiu se eleger deputado federal em 47º lugar, das 70 cadeiras da Câmara dos Deputados, com 121.471 votos, o que também o legitima da mesma forma que o palhaço Tirica. Como Raul Jungman vai ficar sem emprego, quem sabe com a eleição de Roberto Freire em São Paulo, poderá até quem sabe,  arrumar um empreguinho de assessor parlamentar como consolo.


JOGADOR ROMÁRIO - O jogador Romário, foi eleito pelo estado do Rio de Janeiro, com 146.859 votos, para deputado federal, sendo o 6º mais votado. 


DOS FAMOSOS QUE PERDERAM - Alguns pseudos famosos, não obtiveram êxito na política, Kiko do KLB, Frank Aguiar, Maguila, Batoré, entre outros.


MINHA MAIOR SURPRESA - Não eleitor de Armando Monteiro, nem tampouco de Marco Macial, decidi escolher uma candidatura ao senado para votar, e terminei por confiar meu voto a René Patriota. Escolha de última hora, mesmo assim, entre os meus próprios familiares e alguns amigos próximos, consegui uns modestos votinhos  para a minha candidata. Em Buíque ela obteve a marca dos 108 votos e ficou em 5º lugar e, em Tupnatinga, 21 votos.


QUANDO SE CORRE O RISCO DE SER ENGOLIDO PELO TERCEIRO - Em política, o impossível pode acontecer. Quanto se imagina eleito, o candidato vem a perder. Assim aconteceu com Roberto Magalhães, que, ao se imaginar eleito para o senador por Pernambuco, perdeu pelo rolo compressor de Miguel Arraes, que na época também elegeu os dois senadoes. Agora a  história se repete com Eduardo Campos. Só que, com essa de pedir, centrar os olhares para o que está lá atrás, pode vir a atrapalhar quem está colocado num confortável primeiro lugar. Foi o que ocorreu com Humberto Costa e Armando. A princípio, vinha Humberto em primeiro disparado, Marco Maciel em segundo e, em terceiro, Armando Monteiro. Foi se centrar todas as armas para Armando, para as atenções se voltarem para este e Humberto cair para o segundo lugar. É aquela velha história, a partir do momento que o foco passou a ser Armando Monteiro, em se pensando Humberto Costa eleito e a vontade de se derrubar Marco Maciel, se colocou para baixo a sua votação e de primeiro lugar, passou para o segundo. É assim que se pode num piscar de olhos se perder uma política.


          Bem, por hoje é só, pois à ressaca política ainda é um pouco grande, e a gente precisa de mais tempo para analisar com maior profundidade os desdobramentos políticos que advirão desta eleição. Está aí um segundo turno que se abriu com o escândalo Erenice Guerra, quando Dilma poderia ter sido eleita logo no primeiro turno. Outro fator contributivo, foi sem dúvida alguma, o crescimento de Marina Silva e, Serra, que se pensava não mais crescer, mas sim descer ou estacionar, sem dúvida alguma, também cresceu e levou a disputa para o segundo turno. Agora, será uma outra campanha política em que o divisor de águas será, indiscutivelmente, a verde saída das hostes petistas, Marina Silva. Mas o que ficou das urnas foi a lição para que os políticos amadureçam mais, aprendam a melhor conduzir os compromissos assumidos e a responsabilidade que devem ter com a gestão pública e a representação popular, a outorga do povo para lhe representar em alguma esfera do poder. O grito das urnas foi dado. Resta aos políticos ouvir e obedecer a voz do povo saída das urnas.

3 comentários:

Beatriz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beatriz disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Beatriz disse...

Manoel o Forum está esperando os 10 mil votos acorda q a jacarezada tá solta parece q a caça virou contra o caçador, isso é p os camelos apreenderem e deixar de soltar piada c a populção falando q Jonas não precisa do voto do povo da rua e q compra c dinheiro, dinheiro não é tudo e a resposta do imenso trabalho q ele está fazendo veio agora o resultado...acorda meu Buique!!!!