QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

sábado, 18 de julho de 2015

E MIRIAM BRIANO, É CANDIDATA OU NÃO?



      Pelo que bem conheço, embora esteja no engajamento de organização do grupo de oposição ao status quo da política atual de Buíque e de suas práticas degenerativas, corruptivas e antiética, Miriam Briano, com o apoio oficial do atual gestor público ou não, é candidata à prefeita sim senhor. Que tenha interesse de alguns da seara política de nossa terra, ou não, pela trajetória de vida por ela percorrida até os dias atuais, pelo visto, não abre mão de sua candidatura. Praticamente ela está na moita, mas pelo que se sabe, não deixa de fazer suas andanças pelas regiões de Buíque, como sempre o fez desde a época de um programa do Governo de Miguel Arraes, de iluminação da Zona Rural, em que o prefeito era Blésman Modesto e dava às vezes a ela, para que praticamente fosse a enfrentante de implantação do programa e da escolha dos beneficiários, a ponto de vir a ser conhecida como a “mulher da luz” e, no Programa Federal do Governo Lula, Luz Para Todos, ela ainda aparecia, a ponto de nós que éramos do PT e do PC do B, quando das inaugurações desse programa em determinadas regiões buiquenses, termos que partir na frente buscando desmistificar essa ideia e buscar desvincular o nome de Miriam Briano do Programa, que na verdade nada tinha a ver com ela, mesmo assim, o pessoal da CELPE, ainda quando vinha aqui em Buíque, era a quem se procurava.
    Vice-Prefeita de Arquimedes Valença, que em doze anos que esteve como prefeito à frente da administração pública buiquense, nada fez de relevante, mesmo assim, ainda se voltava para ajeitar uma estrada aqui, acolá, principalmente de sua região, a Ribeira, e voltado mais para os seus eleitores e amigos do peito do que para o povo em geral, tendo inclusive até, com recursos públicos, veio a construir um campo de aviação numa fazenda de um ricaço do Recife, dono do Hospital Santa Joana, que para cá vinha nos finais de semana de helicóptero, que não era do interesse de nosso povo, muito menos, em beneficiar nossa gente. Quer dizer, durante essa gestão de Arquimedes em que Miriam foi sua vice, nada de proveitoso foi feito e nenhuma marca administrativa positiva ele deixou como legado para Buíque, a não ser a AMDRI, que no meu entender era um projeto de excelência para o desenvolvimento sócio-econômico de nossa agricultura e pecuária familiares, o que veio a ser extinto pelo atual mandatário, por desconhecer a sua importância e a construção do SESC-LER, que se diga de passagem, foi uma grande obra, que embora privada, só veio através de pedido dele pelas mãos de Armando Monteiro, mas de outra marca, se alguém vier a apontar mais uma que seja, ganha um doce, é meu desafio.
    Candidata à prefeita em 2008, apontada pelo seu padrinho político de então Arquimedes Valença, não logrou êxito, não por que o outro fosse melhor, mas sim, porque o vermelhão estava extremamente desgastado politicamente em Buíque e, apesar de ter gasto mundos e fundos, o “pobre” menino inexperiente que nunca na vida dera um prego numa barra de sabão, foi quem levou, deu de lapada e ganhou na sena, esta é a verdade explícita da política de Buíque, se diferente for, que mostrem o outro lado da história, mas que foi desse jeito, não tenho a menor dúvida e isso é só um pedacinho desse infeliz conto do vigário pelo qual o povo de Buíque foi envolvido.
    Por alguma razão, em 2012, com o veloz desgaste do “pobre menino” (porém já rico), quando não tinha a menor chance de ganhar a reeleição, não tendo outra saída e Miriam sendo ainda eleitoralmente forte, conseguiu cooptá-la e trazê-la para o seu lado, o que veio a ser o diferencial para vir a ser eleito, derrotando o próprio Arquimedes, político considerado imbatível, por uma margem de cerca de 3,4 mil votos de vantagem, mesmo assim, não tendo aprendido a lição num primeiro mandato, continuou bem piorado administrativa e politicamente do que antes, por isso mesmo, não se pode dizer que seu apoio pode ser no momento atual benéfico ou negativo, porque pelo seu ibope em nosso município, de ponta à ponta, é de colocar em depressão profunda qualquer político que se preze, mas como ele não liga para porra nenhuma, tanto faz como tanto fez, esta é a verdade. Segundo seus vassalos mais chegados, “ele não está nem aí para o povo de Buíque, pois o que importa mesmo, é sair bem reforçado de indevidos bens e riqueza”.
     Emudecida, calada como os tantos postes de luz que ela acendeu, Miriam Briano ainda alimenta o desejo de vir a ser apoiada por ele, apesar de humilhada e escanteada de forma vexatória pelo prefeito, mesmo assim, ainda acalenta o sonho de contar com o seu apoio, o que pelo visto, dentro da lógica política, não tendo ele um laranja à altura para no futuro manobrar, pelo visto, ele vai ter mesmo que apoiar Miriam Briano, o que já sai na vantagem com relação aos seus adversários, porém nem sempre com esse apoio se pode garantir que vai ganhar às eleições, como ocorreu em 2008, quando foi apoiada pelo poderoso e imbatível Arquimedes Valença, que hoje também, está em contagem regressiva de decadência para entrar de vez no ostracismo de alguns ex-prefeitos ainda vivos de Buíque. Na minha opinião, do ponto de vista logístico para Miriam Briano, o apoio do atual “menino” que brinca de gestor público, é importante em face do poder político e de uso da máquina administrativa, o que poderá ocorrer ou não, isso porque ele não é o candidato, mas sim, outra pessoa que eleita, se for esta, Miriam Briano, vai fincar com certeza a sua própria marca administrativa, e não vai de jeito nenhum ser mero capacho, laranja, ou espelho de ninguém, pois disso tenho toda certeza.
    Então pelo que posso visualizar dentro dos vais e vens da política buiquense, é aí que a oposição tem que entrar com força para ocupar um grande espaço aberto em nossa política, porque se está diante de uma candidatura, provavelmente oficial, de uma pessoa temerária, que até agora não se manifestou e com o apoio do prefeito, pelo gritante desgaste, pode dar certo ou ser mais uma vez a repetição do mesmo filme de 2008. Pelo sim, pelo não, embora as coisas da política de nossa terra, ainda não estejam totalmente clareadas, definidas, mesmo assim, dá para se perceber um fosso vazio em que poderá perfeitamente ser preenchido por um bom candidato de oposição, que tenha o compromisso de ser não meramente uma oposição de algaroba, mas sim, ser oposição de verdade, ser o diferencial e que tenha o compromisso de verdade de botar moral na política buiquense, que de há muito se perdeu nas imoralidades sucessivas que nosso povo vem enfrentando nos últimos trinta anos nessa política degenerativa de sempre se tirar vantagem do que é o povo e, para ser político, se fazer uma boa política, se tem que respeitar o povo e usar o que lhes pertence, exclusivamente a seu favor, esta sim, é que seria em tese a ideologia filosófica de se fazer na prática a boa política. Acaso não seja dessa forma, certeza podem ter, o caminho meu não será esse, pois o meu sonho ainda não acabou e pelo sim, pelo não, se o que quero não for o diferencial, então meu grito de libertação está dado em favor de nosso povo.

Um comentário:

Zé-Macaxeira Jirimu disse...

- Dr. Manoel, a oposição do nosso torrão Buiquense, é uma verdadeira canja de galinha, não faz mau pra adversário nenhum, é uma oposição cor-de-rosa, não me causará espanto se algum desses que hoje é do outro lado, no próximo ano, estiver puxando o saco da "CAT WOMAN", "na política não há amigos, apenas conspiradores." Ideologia e vergonha na cara de político Brasileiro não existe, é uma pena; esta oposição já nasceu fadada ao fracasso político, por um simples motivo, falta de carisma e por isso mesmo o poço vai continuar vazio e o Dr.falando ao vento inimigo, seu irmão já foi vítima deste tipo de político, isto para a nossa terra é péssimo, sempre às mesmas figuras a fazer o eleitor de bufão; entra fulano, sai sicrano, entra sicrano e sai fulano.
- NÃO HÁ NADA COMO O SONHO PRA CRIAR O FUTURO, UTOPIA HOJE, FERRO NO ELEITOR AMANHÃ: DEPRESSÃO PÓS-VOTO.
Edílson
São Paulo