SLIDE POSTAGENS

QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

terça-feira, 8 de dezembro de 2015

VEREADORES DE BUÍQUE APROVAM LEI E DEPOIS DÃO CHÁ DE SUMIÇO?! – ISSO É RETALIAÇÃO?



        Como é de praxe, em nome da Academia Buiquense de Letras e das Artes – ABLA, da qual sou presidente, me dirigi através de ofício, à Secretaria de Governo, solicitando cópia da Lei que declarou a entidade acadêmica, como de UTILIDADE PÚBLICA. Só isso. A Lei não era para benefício particular de nenhum membro da academia, muito menos à minha pessoa, mas sim, à cultura buiquense. Foi aprovada por unanimidade dos presentes, no dia 25.08.2015 na Sessão da Câmara. O projeto de lei da Academia, recebeu a numeração de 002/2015 e deveria ter sido encaminhada dentro de dez dias úteis, para sanção do prefeito ou não e, no seu silencia, seria automaticamente aprovada.
    Outro Projeto de Lei que também votado, que tratava de interesse exclusivamente dos vereadores, foi justamente do aumento do número de vagas, que recebeu o nº 001/2015, das atuais 13 para 15 vagas, na mesma data, votação essa, em primeiro turno, porque é matéria de alteração do art. 10, da Lei Orgânica do Município e, diga-se de passagem, com maioria de 2/3 dos membros da casa, e não por maioria simples, foi colocada, na base da moita, na pauta do dia, só que, sequer dito projeto foi mencionado, porém foi votado e aprovado por alguém do além.
      O ineditismo da questão é o fato de que, ao requisitar cópia da lei da Academia, a informação que tive do Executivo, é que essa lei jamais houvera chegado lá para ser enviada para a sanção do prefeito, porém lá se encontrava cópia da lei de interesse dos vereadores. Acontece que, pelo art. 48, caput, e parágrafo 1º da Lei Orgânica do Município, qualquer lei aprovada pela Câmara, o presidente da casa, tem dez dias úteis para enviar para o Prefeito Municipal e este, de conformidade com o parágrafo primeiro, tem quinze dias úteis para sancionar ou não. Não sancionando, o seu silêncio importa em aprovação automática. Não tem nenhum mistério, nem conversa fiada até aí. O interessante em tudo isso, é o fato de que, a Lei da Cultura, escafedeu-se, tomou chá de sumiço, certamente algum Mr. M, a fez desaparecer, mas a de interesse dos vereadores, não sumiu, estava lá e até o TCE-PE, foi indevidamente consultado para se saber de sua legalidade ou não. A questão é que o TCE-PE não sabe, é o fato de que, no dia 25.08.2015, eu estive do início ao fim, na Sessão da Câmara de Vereadores, e em nenhum momento se fez menção à lei de aumento de vagas da casa, mas a lei da Academia foi lida, como manda o regimento interno da Casa e o art. 37 da Constituição Federal, na questão de Publicidade de todo e qualquer ato público. Quanto à legalidade, não se discute, a questão discutida, é justamente a de moralidade, quanto ao aumento desse número de vagas, que antes era de nove e, por conveniência, em face da dificuldade de alguns dos vereadores perderam suas vagas cativas, primeiramente, de nove, aumentaram para 13 vagas e agora, a história se repetiu da mesma forma, das 13, para 15, isso porque tem vereador pendurado e mesmo com esse aumento, não voltará de jeito nenhum.
    A Lei da Cultura de Buíque, não é, repito, para interesse particular de ninguém, especialmente meu, mas sim, para a própria cultura buiquense. O que tenho feito, em movimentos culturais dos quais tenho participado e aonde quer que esteja, é sempre elevando a cultura de nosso povo, que tem potencial de sempre crescer e dar muitas oportunidades a muita gente e sempre levando o nome de Buíque com muito orgulho, por onde tenho passado. Por acaso, apenas fui o mentor e criador, junto com alguns companheiros, de ter tido a ideia de criar a entidade cultural, que por sinal, inédita em nossa região e uma das poucas existentes nos 185 municípios de nosso estado. Então para quem não sabia, volto a dizer, que a academia não é minha, como algumas entidades que algumas pessoas tem criado em Buíque, que acreditam que são donos daquilo que é de interesse coletivo. Terminou meu mandato, passarei o bastão para outra pessoa. Só tive a honra de fundar uma entidade que muito me orgulha e, acredito, que ao povo de nossa terra, principalmente para quem é ligado à cultura, que só tem feito crescer depois de nossa academia.
      Fazer uma lei de interesse coletivo desaparecer assim sem mais nem menos, por pura retaliação a mim mesmo, por fazer movimentos políticos, em função de práticas imorais com as quais não concordo é uma coisa, agora a responsabilidade de vocês, é cuidar do bem coletivo, porque o poder representativo a vocês outorgado, quer pelo voto livre ou comprado do povo, não faz de vocês os todos poderosos, tampouco donos do poder, para fazer e desfazer o que vem entenderem, muito menos dar sumiço a uma lei que vocês mesmos votaram e que não vem em momento algum me trazer benéficos particulares, mas sim, coletivos em favor de nossa cultura, mas como vocês são em parte, analfabetos funcionais, tanto faz enterrarem cada vez mais a nossa cultura ou não, né mesmo senhores Místeres Emes?! Sumir com a lei do aumento de 15 vagas, vocês não sumiram, porque isso é de conveniência para vocês continuarem a fazer as maracutais como bem e quando bem quiserem. Interessante é o fato de que, essa lei não sumiu, mas uma de interesse de grande parte da coletividade, escafedeu-se! - Que vergonha vocês são, vereadores de Buíque! – Mas certamente essa lei está na ATA da Sessão, cuja cópia vou requerer, além de outra, da votação fantasma em segundo turno, de aprovação da lei de aumento de número de 15 vagas de vocês mesmos, para tomar as medidas jurídicas cabíveis e, se administrativamente não me derem as cópias, acionarei a Justiça com as medidas legais cabíveis.

Nenhum comentário: