SLIDE POSTAGENS

QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

quinta-feira, 13 de julho de 2017

CONDENAÇÃO DE LULA EM PLENO CALOR DOS DEBATES NA CCJ PARA ADEMISSIBILIADE PARA AUTORIZAR PROCESSAR O PRESIDENTE GOLPISTA PELO STF, NÃO PASSOU DE MANOBRA DO JUIZ MORO PARA DESVIAR O FOCO DE TEMMER PARA LULA E ISSO REPRESENTA UMA JOGADA DE UM JUIZ VENAL E PARCIAL.


     Que ninguém se iluda, porque a mim não convence, como advogado militante há quase três décadas, de que essa condenação, mesmo em primeiro grau, de Lula pelo juiz do Paraná, Sérgio Moro, foi mais uma jogada dele, que é venal e parcial, só não percebe quem não quer, se fazer de cego ou for cego de guia mesmo, porque não dá para entender ele ter prolatado uma sentença condenatória em pleno calor dos debates na CCJ da Câmara dos Deputados, para aceitar ou não, a admissibilidade de autorização para que o STF possa vir a processo o presidente golpista, Michel Temmer, estando este num tremendo meio de um tiroteio ferrenho.
     Foi muito estranho, porque ele poderia ter prolatado essa sentença bem antes, ou depois desse impasse de crise aberta, nas veias da política brasileira, mas não, ao perceber que a Rede Globo de Televisão só estava batendo em seu partidário, não teve conversa, prolatou logo uma sentença condenatória de 9,6 anos, em plena efervescência dos debates e diante da poderosa mídia global em cima dos crimes dos quais foi acusado pela PGR, Michel Temmer, não teve dúvidas, prolatou e sentença e, na mesma hora que essa rede de televisão tomou conhecimento, não mediu esforços, montou logo um aparato de repórteres em todos os lugares, tão-somente para destrinchar ponto à ponto, as questão pontuadas da sentença, que deram o convencimento de “algaroba” ao juiz Moro, para condenar o ex-presidente Lula. Por seu turno, esse jogo perigoso desse juiz que está ajudando a desmontar o nosso Brasil na questão de instabilidade, não percebe que, isso pode levar a dois caminhos, porque se trata de um líder carismático, que mesmo diante de uma, duas ou três condenações que possa vir por aí, ainda assim, o povo acredita nele e o fuzuê popular pode ser grande, a ponto de sair fora do controle dessas pseudo-autoridades de plantão. Quem viver verá o que ora afirmo.
     Ele, Moro, já demonstrou em ocasiões recentes, ao absolver alguns acusados de envolvimento em falcatruas da Operação Lava-Jato, de que é realmente parcial e condena pelo partidarismo que tem com os comparsas de Temmer e, um exemplo foi ter absolvido sem nenhuma justificativa plausível, a esposa de Eduardo Cunha. Então que juiz é esse que julga pelas caras ou pela proximidade política que tem com os seus pares? – Na verdade, quem deveria sofrer processo e ser preso, com toda certeza, pela desordem que está impondo ao país, era ele, eis que, está juridicamente, com base em suposta legislação, que só serve para uns, para outros não, era ele. Num país sério, esse juiz não estaria mais com a sua toga de julgador, mas certamente ter sido afastado ou recolhido a uma prisão.

        Agora, com essa decisão de primeiro grau, não quer dizer que ele tenha feito um mal maior ao ex-presidente Lula não senhor!, porque trata-se de um líder carismático, que pelo visto, uma prisão dele, poderia causar maior indignação popular e ele vir a ficar ainda mais fortalecido, mesmo que num julgamento a nível de juízo de revisão, supostamente, viesse a ser confirmada tal sentença, a ponto de ele não poder ser candidato, mas com certeza, tirando ele do páreo político ano que vem, ele mesmo de dentro de uma prisão, poderá apoiar alguém dos seus, e vir a eleger. Quer dizer, o juiz usou de uma faca de dois gumes: ou pode levar Lula à cadeia, torná-lo inelegível e jogá-lo no esquecimento, o que é pouco provável e, numa revisão criminal que o absolva, poderá o tornar ainda mais forte e, tornando-o inelegível, ele poderá apoiar outra pessoa e vir a elegê-la. Esses são os caminhos que serão percorridos daqui para a frente, porém a condenação do ex-presidente em pleno calor dos debates na CCJ, foi uma forma que o juiz Sérgio Moro encontrou, para tentar esfriar o foco em Temmer e tentar desviar para o ex-presidente, só que, pelo visto, o tiro pode ter saído pela culatra, porque a repercussão está sendo grande, só que, de apoio ao líder Luis Inácio Lula da Silva, esta é a verdade!

Nenhum comentário: