QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

sábado, 21 de janeiro de 2012

O QUE O CORAÇÃO DO BOLSO NÃO SENTE, OS OLHOS DA POLÍTICA FAZ DE CONTA QUE NÃO VÊ E ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A OAB

Este Advogado quando do seu julgamento, na sede da OAB, em Recife.

É ASSIM MESMO A PRAXE - Verdade seja dita mais uma vez, mas em política, se o sujeito político fizer alguma coisa, roubar pra valer, os olhos do povo que está na política ou dos próprios políticos que se dizem éticos e honestos, fazem de conta que não veem. É uma verdade inconteste.Ademar de Barros, lá de seu túmulo, que foi governador do estado de São Paulo que o diga, pois vem dele a ideia politicamente incorreta de "rouba mas faz". É dessa forma que é vista pelo inconsciente coletivo do nosso povo até hoje, o fazer política. Se o elemento político que administra um município ou seja lá que ente federativo for, se acaso mostrar um montão de obras ao povo, tudo bem, não interessa para os eleitores se o político roubou ou não. Se superfaturou, fradou licitações e o escambau. O que interessa é que está fazendo alguma coisa, o resto não interessa. Ética, moral e dignamente falando, esse tipo de político não difere nenhum pouquinho dos demais salafrários, corruptos, cabras safados e ladrões. O certo é fazer, realizar em favor de toda população, menos roubar ou deixar roubar, coisa que já ouvi de muitos administradores, mas para tentar ludibriar o povo e enganar até a si mesmo, é costume deles demonstrarem que são politicamente corretos, quando existe mesmo é um lobo faminto por trás da pele do cordeiro que procuram demonstrar ser. Parece que quando o indivíduo chegar ao poder e se depara diante de tantas facilidades, a regra passa a ser roubar, mesmo que se faça alguma coisa. Pior é que o povo aprova esse tipo de atitude política na praxe, ou não camaradas!

FAÇA OU NÃO FAÇA - Fazendo ou não fazendo, roubou dinheiro público, para mim é ladrão, seja quem for. Não interessa. O povo não vota em alguém para ser ludibriado e roubado, apesar de na cultura do inconsciente coletivo popular o povo achar correto o sujeito político fazer e se roubar, nada a declarar, tudo bem. O importante é que está fazendo, o que demonstra o quão despolitizado é o nosso povo. Outra mais, essa cultura do atraso dificilmente vai sair da mentalidade dos nossos eleitores. Até mesmo em órgãos de classe formados por pessoas supostamente cultas existem falcatruas com a compra de votos e até mesmo, administrativamente, quiçá nos setores públicos, hem!

ABRIR A CAIXA PRETA - Em face da briga de foice para medir quem tem mais ou menos poder no Judiciário, entre o Conselho Nacional de Justiça - CNJ e membros do Judiciário, que acham que não devem ser subordinados a ninguém e que os seus atos praticados são incólumes e portanto não devem ser fiscalizados por ninguém, muito menos pelo CNJ, o presidente da Ordem dos Advogados, se não me engano da Subsecção de São Paulo, que pediu para que o Judiciário abrisse a sua caixa preta, teve como resposta de quem deveria abrir a caixa preta era a própria OAB, que ninguém sabia se era era uma entidade de utilidade pública ou privada e nunca tivera conhecimento de que esse importante órgão de classe, tivesse alguma vez prestado contas à população ou a seus jurisdicionados sobre a destinação das anuidades de seus afiliados, razão pela qual, o que existe mesmo é uma briga pelo poder e pelo medir forças de quem é mais do que quem, essa é a verdade!

JÁ FIZ ISSO NO JA - Essa questão de caixa preta, já comentei bem antes desse tal magistrado, no Jornal de Arcoverde, acho que ainda na década de 90, questionando de onde aparecia tanto dinheiro nas eleições da OAB de Pernambuco e nacional, para eleger seus membros da Diretoria, o que continua uma verdade inconteste até os idos atuais. Nada mudou e as eleições da Ordem continuam um desmanche dos cofres não sei de quem, mas fluem do mesmo jeito e no mesmo figurino. Eleição da OAB em todos os estados da federação, é uma briga de foice dos diabos. Não que o advogado que deseja ser presidente da entidade, tenha algum interesse em defender piamente os interesses da classe a qual vai representar, mas puramente porque vai ter poder de mando, administração das anuidades pagas pelos inscritos na Ordem, viajar por conta do órgão de classe para onde bem entender, ter algumas prerrogativas, estar sempre em evidência na impressa falada, escrita e televisada, a promoção política e social a que são elevados e no futuro, de um modo geral, o que estão visando mesmo é um mandato de deputado estadual ou federal, ou então uma vaga no quinto constitucional em alguns dos nossos tribunais, nada mais que isto. Outra mais, o que existe também é uma panelinha que se enraíza no poder, e para arrancar algum grupo dá um trabalho dos diabos. Aqui mesmo em Pernambuco teve família que parecia até que era dona ou sócia da OAB, porque ficaram no poder se revezando por mais de vinte anos. Então o que realmente será que nossos colegas membros representativos da OAB estão defendendo na verdade, hem?

ALÉM DO MAIS - Não fosse somente esse meu comentário para que a OAB abrisse a caixa preta, além do mais fui ainda processado por um ex-presidente aloprado da Seccional de Arcoverde, que me representou, por ter falado a verdade e chamado ele de presidente laranja, o que ele não gostou e por influência de alguns de seus cupinchas ainda chegou a me representar na Seccional de Pernambuco, por quebra de ética, onde vim a ser processado pelo Conselho de Ética e após três anos de labuta, cheguei a vencer essa peleja decidindo o Conselho sabiamente, que "eu tinha o sagrado direito constitucional de liberdade, de falar e de escrever o que bem entendesse", pois vivia num Estado Democrático de Direito e não poderia ter o meu direito de livre expressão cerceado. Pelo menos nisso a OAB acertou, foi consistente com os preceitos constitucionais. Mas de um modo geral, a OAB, vez por outra pisa na bola e peca pelo fato de ao invés defender um colega, diferentemente, procura defenestrá-lo publicamente como se o indivíduo não fosse um membro participando do próprio órgão de classe. - Ademais os membros do Conselho de Ética que me julgaram, num processo que jamais deveria ter existido, tendo me absolvido por unanimidade, cuja acusação era a quebra de ética por ter falado e escrito livremente, sob a proteção da Constituição Federal de 1988 e em defesa do que acredito ser correto. Quero deixar claro também, que agradeço todo apoio recebido na época, pelo Presidente Dr. Tércio Soares Belarmino, que não se quedou do seu dever e obrigação e me defender dentro das prerrogativas do advogado, da liberdade de expressão e do sagrado direito de falar e escrever livremente.

ADVOGADOS DO INTERIOR ESQUECIDOS - O que me deixa ainda mais indignado, é de que nas eleições da OAB do Estado, ninguém do interior, digo dos que militam, integram alguma das chapas, como se houvesse algum tipo de discriminação, as quais são compostas somente por advogados militantes da capital. Ora caros colegas advogados, nunca concordei com esse tipo de coisa, muito menos com essa desbragada discriminação à olhos vistos. Quando muito, colocam algum interiorano advogado vinculado ao grupo dominante, como membro do Conselho Estadual para engabelar os bestas, ou estou enganado, hem? - Tem mais, quem já viu advogado do interior participar de eleições para o quinto constitucional? - Por que somente os da capital se acham nesse direito,hem? - Será que existe discriminação de verdade, ou os advogados da capital se cham mais preparados do que muitos que militam  com maestria e com conduta ética no interior? - Por isso mesmo camaradas, é que muitas coisas precisam mudar na estrutura da Seccional da nossa Ordem de Pernambuco e do Brasil, isso porque somente quem são bem estruturados são quem podem concorrer a tais cargos ou até mesmo disputar uma eleição para o órgão de classe do qual fazem parte. Esta é a verdade nua e crua, doa em quem doer, afinal devemos ser democráticos, dizer a verdade, lutar pela ética, pela moralidade, publicidade dos atos, ou não, camaradas! - Na eleição do quinto constitucional para o TRT da 6ª Região, que ocorreu há alguns meses, só não concorri porque ainda sou membro da Sub-Seccional de Arcoverde como Secretário Geral, se não houvesse essa barreira, com certeza teria concorrido, somente para mostrar que advogado do interior também tem o seu valor, ou não?

Nenhum comentário: