SLIDE POSTAGENS

QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

A FACETA DIABÓLICA FASCISTA DE JAIR BOLSONARO


    Vejam até aonde muitos estão sendo capazes de chegar, a ponto de se faltar a devida conscientização política suficiente, e se partir a endeusar, idolatrar, um tipo truculento, fascista e torturador, o ex-militar do exército brasileiro, deputado federal, Jair Bolsonaro. É inacreditável, mas é a mais pura verdade. É lamentável e triste percebemos que nosso povo, por incompetência política de uma grande parcela de nossos próprios maus políticos, em chegar a permitir que gente desse naipe se permita chegar a esse patamar da política nacional. É lamentável e triste termos que encarar isso, mas só pessoas que não buscam se focar na história, nos sagrados e inalienáveis direitos humanos, individuais e do pleno exercício da cidadania, são quem podem ter a capacidade de chegar a tanto. É uma pena que jovens que não sabem o que é uma ditadura por não terem vivenciado uma, os escuros e execráveis porões por onde se torturava, massacrava, pessoas desapareciam misteriosamente, onde se chegou a se tirar cruel e vilmente, a vida de muitos inocentes, é de gente assim, com esse estereótipo de sádico, psicopata contumaz, que muitos de nossos jovens estão buscando enviesadamente se focar, sem falar naqueles que não tendo aprendido à lição, ainda teimam em pedir à volta da ditadura militar.
   Ora minha gente, esse Jair Bolsonaro que não escondendo quem é e quem foi, em uma entrevista à Revista IstoÉ, em 2000, defendeu a utilização da tortura em casos de tráfico de drogas e sequestro, além pasmem, de execução sumária em casos de crime premeditado. Veja até onde a mente doentia de um sujeito, pode chegar. Segundo ele, justifica o uso da tortura, pois "o objetivo é fazer o cara abrir a boca" e "ser arrebentado para abrir o bico." Bolsonaro também foi criticado pelos meios de comunicação, por políticos e pelo grupo "Tortura Nunca Mais", sobretudo depois de ter afixado na porta de seu escritório um cartaz que dizia aos familiares dos desaparecidos da ditadura militar "quem procura osso é cachorro". Por tais declararões fascistas e descabidas, ele ficou conhecido por suas alegações de que a ditadura militar brasileira teria sido um período glorioso da história do Brasil. Segundo carta do deputado publicada no jornal Folha de São Paulo, foram "20 anos de ordem e progresso". De acordo com a entrevista de 2000 dada à IstoÉ, Bolsonaro ainda defende a censura, embora a reportagem não especifique qual tipo. Então minha gente, é esse tipo de truculento que o povo ainda abre a boca para dizer que é o seu ídolo. Sinceramente, não dá para acreditar de que, quem tem um mínimo de bom senso e de humanidade, possa absorver as ideias tresloucadas desse pústula da ditadura militar brasileira.
Ele ainda, o Bolsonaro é criticado por declarações consideradas machistas e sexistas. Durante uma discussão no plenário da Câmara dos Deputados, Bolsonaro afirmou que não "estupraria" a deputada Maria do Rosário porque ela "não merece". Veja a que ponto chegou esse destrambelhado, que usando de seu machismo e rispidez do militarismo, chegou a proferir numa discussão em Plenário, onde o respeito, a ética, devem acima de tudo, prevalecer entre os pares, embora não se concorde com o seu interlocutor. Ele deveria ter sido processado, como de fato o foi, por falta de decoro parlamentar e perder o mandato, entretanto, chegou a ser condenado pelo que disse e repetiu essa mesma ladinha outras vezes. Ele repetiu uma ofensa que já havia proferido contra a parlamentar em 2003. A briga ocorreu após ela dizer que a ditadura militar foi "vergonha absoluta" para o Brasil”. Em fevereiro de 2015, em uma entrevista ao jornal Zero Hora, o deputado afirmou que não acha justo que mulheres e homens recebam o mesmo salário porque as mulheres engravidam. Veja aí a mentalidade do militar, em achar que a mulher é um ser inferior ao homem e que não tem a mesma capacidade que este, simplesmente porque tem o dom de parir à vida. Sinceramente, é esse Jair Bolsonaro que muitos estão a defender? Paciência, minha gente, mas é hora de cada um dos que defendem esse psicopata, repensarem a sua visão de mundo, porque só se igualando a ele para poder vir a defender um crápula como ele. Por causa das ofensas contra a deputada, Bolsonaro foi condenado em primeira instância, por danos morais.
A gente tem ciência própria, que o mundo mudou, o modo de vida da sociedade, em seus vários segmentos, se modificaram e por isso mesmo, não há como modificar os processos sociais que ao longo dos tempos cada sociedade vem enfrentando, como as questões de sexualidade que hoje enfrentamos. Pode-se até não concordar, mas se trata de mudanças irremediáveis da própria sociedade, que já existe desde o início das primeiras civilizações, mas que não mais se pode impor ou refrear uma escolha de modo de vida ou de opção de como fazê-lo. Os deputados federais Marco Feliciano e Jair Bolsonaro são conhecidos por fazerem declarações consideradas homofóbicas.
Esse indivíduo, é contra praticamente a todas as mudanças e alterações do modo de vida em sociedade, só que, nem ele, tampouco ninguém, pode impedir as tantas transformações e avanços .pelas quais a sociedade vem passando. Discordar faz parte do jogo democrático, mas impedir, ninguém será capaz, tampouco de impor vontades só por discordar. Esse sujeito é tão reacionário, que chegou a ponto de dizer também, ser contrário à política indigenista do governo e chegou ao máximo, ao proferir que os povos indígenas eram “fedorentos e não educados”. Fedorentos e mal-educados, se reportou aos índios esse pústula, como que não tenha o conhecimento de que os indígenas são os verdadeiros primitivistas de nosso Brasil. Também chegou ao ponto de dizer que “pessoas como os índios, supostamente não "educados" e "não falantes de nossa língua", não deveriam ter direito a uma tão grande porção de terra”, isso na questão de demarcação de terras para os índios pelo Governo Federal. Os comentários de Bolsonaro causaram grande indignação entre índios, parlamentares e grupos de defesa de direitos humanos, que consideraram que o comentário de Bolsonaro feria o princípio de não discriminação da Constituição Brasileira. Sentido-se constrangido e ofendido com os comentários do parlamentar sobre a questão indígena, uma das lideranças do povo sateré-maués presentes na audiência pública chegou até mesmo a atirar um copo de água em sua direção.
Como não bastasse tantos outros eventos constrangedores na carreira política desse facínora, em uma entrevista dada ao programa Custe o Que Custar (CQC), no dia 28 de março de 2011, ao ser perguntado pela cantora Preta Gil sobre o que faria se seu filho caso apaixonasse por uma garota negra, Bolsonaro disse que "não discutiria promiscuidade" e que "não corre esse risco porque seus filhos foram muito bem educados", uma das declarações que mais causou polêmica na entrevista. No dia seguinte, afirmou que a resposta a Preta Gil fora um "mal entendido", alegando que pensou que a pergunta fosse sobre o relacionamento de seu filho com um homossexual. Agora indago, e se um filho desse cara chegasse a ser homossexual, o que será que ele faria, hem?
Bem está aí, um pouco do Bolsonaro que alguns que certamente não conheciam direito de sua visão fascista de mundo, não sabiam e que deveriam saber para poder chegar a defender um sujeito como ele. Até que se admite que é um declarado analfabeto político venha a defender gente desse tipo, porém o que não se admite de jeito nenhum, é que quem foi criado ouvindo histórias as mais absurdas sobre truculência em regimes de exceção, do despotismo, da agruras do regime militar, e de tantas outras histórias nebulosas, venha a ter a capacidade de defender gente como Jair Bolsonaro, que representa a negação da negação do que é humanamente possível numa sociedade humanamente preparada para a livre convivência democrática e no mais comezinho respeito aos direitos e garantias individuais de todos e quaisquer cidadãos brasileiros.

Nenhum comentário: