SLIDE POSTAGENS

QUEM REALMENTE SOU

Minha foto
BUÍQUE, NORDESTE/PERNAMBUCO, Brazil
A VERDADE SEMPRE FOI UMA CONSTANTE EM MINHA VIDA.

terça-feira, 26 de julho de 2016

MEU PONTO DE QUILÍBRIO, AONDE SERÁ QUE ESTARÁ?



    Não sei o porquê de tantas noites indormidas. Geralmente vou dormir cedo. Sozinho também, né mesmo!, com apenas meu filho mais novo em minha companhia, se tem pouco para conversar. Às vezes conversarmos sobre estudos, a vida e algo mais. Vivo numa sofreguidão intensa. Quero controlar minha vida e não consigo. 
     Será que um SPA daria um jeito. Sei não, porque vou continuar na mesma solidão de sempre, assim mesmo, em companhia de pessoas que nem bem conheço e sei lá como será o tratamento que receberei num ambiente dessa natureza. Sei não, mas algo está virado, meio de ponta-cabeça, em minha vida e eu tenho que dá um jeito de me controlar com um freio de arrumação ou um contrapeso, porque só assim é que as pessoas buscam se reencontrar na vida. Sei que talvez esteja com síndrome da idade avançando, ainda assim, quero viver um bocado de invernos, verões e primaveras.
     Estregar-se aos poucos, jamais! - Por qual razão é que tenho de me menosprezar ou ficar como um bicho do mato! - De forma alguma. Quero mais é usfruir o máximo que puder desse tempo que me resta. Só não posso e não devo exagerar. Acredito que parto para o exagero am algumas ocasiões, mas tenho que buscar o ponto de equilíbrio de minha vida, que só a mim mesmo compete encontrar e buscar nivelá-lo no prumo que deve ser o equilíbrio de viver.
      A gente tem ciência própria que só tem mesmo uma porra de uma vida. Outra, acredito, que não passa de uma ilusão, quem geralmente costume se alimentar da esperitualidade e por isso mesmo acreditarem que um dia ainda vão dessa para outra, mas a vida se renova tantas vezes quantas forem necessárias, até se chegar a uma perfeição da alma e do espírito. Acredito que tudo não passa mesmo é de balela, conversa fiada, no sentido de não deixar o sujeito para baixo antes mesmo do tempo de escuridão chegar, né mesmo camaradas!

Nenhum comentário: